Vaga e Emprego

08/05

Digitalização abre novas oportunidades de trabalho no agronegócio

 

A digitalização da agricultura vem abrindo novas oportunidades e frentes de trabalho no agronegócio. “O setor bateu recorde de produtividade em 2017. Além disso, gerou cerca de US$ 96 bilhões em exportação, e parte desse sucesso já pode ser percebido pelo forte movimento de inovação do setor. Na prática, as fazendas estão se tornando ambientes conectados. Produtores rurais de médio e grande porte estão utilizando robótica e tecnologia de alta precisão. Multinacionais de engenharia estão criando soluções sofisticadas para pesagem de gado e ordenha robotizada, tarefas enraizadas no imaginário sobre o setor, para ficar em dois exemplos”, afirma Lucas Toledo, diretor da Michael Page em Campinas, empresa global de recrutamento especializado em alta e média gerência.

 

Hoje, destaca Toledo, o agronegócio brasileiro é um verdadeiro laboratório de inovação. “E a nova demanda por contratações comprova isso. Mesmo os cargos mais tradicionais já estão imersos na cultura digital que está transformando a sociedade e agora também o campo.” Segundo levantamento da empresa, o avanço da tecnologia da informação no dia a dia da agricultura vem criando demanda para novos cargos. Confira alguns deles:

 

Gerente de Manutenção Agrícola

 

O que faz: supervisiona as equipes que realizam a manutenção de tratores, máquinas produtivas móveis e fixas. No cenário de hoje é responsável pela manutenção de equipamentos que podem facilmente custar milhões de reais. Seu objetivo é ter máxima disponibilidade das máquinas com o menor custo/produção.

 

Perfil da vaga: O profissional precisa conhecer de mecânica elétrica, sistemas e automação. Cada vez mais os equipamentos se comunicam e interagem com sistemas integrados de gestão, sensores, máquinas de plantio, preparação e colheita.  Necessário conhecimento de inglês.

 

Salário: R$ 12 mil a R$ 20 mil

 

Motivo para alta em 2018: é um profissional estratégico pois cuida de um volume de ativos muito grande, além disso, através de análise de dados dá suporte à gestão, faz parceria com os fornecedores para desenvolver novas soluções.

 

Percentual de aumento no trimestre: 30%

 

Gerente de Fazenda

 

O que faz: Responsável pela gestão direta da fazenda, lidera a equipe técnica de campo e tem forte papel no desenvolvimento e retenção das pessoas. Recentemente tem assumido papel ainda mais estratégico, incorporando funções de gestão financeira, análise de orientações de ferramentas de software e custos do negócio.

 

Perfil da vaga: Deve ter capacidade de conciliar a expertise técnica com a gestão. Preferencialmente formação em Engenharia Agronômica e cursos de capacitação como MBAs voltados para o agronegócio.

 

Salário: R$ 10 mil a R$ 35 mil

 

Motivo para alta em 2018: Para atingir aumento de produtividade cada vez maior das propriedades, as empresas têm investido em trazer gestores cada vez mais preparados. Além disso, os investimentos têm aumentado e mais propriedades tem contratado gestão profissional.

 

Percentual de aumento no primeiro trimestre: 15%

 

Gerente de RH

 

O que faz: são executivos que gerenciam todo o capital humano do negócio. Trazem a expertise em recrutamento de profissionais capacitados, garantem todos os processos de treinamento e desenvolvimento dos times, fortalece a retenção de talentos e cria estratégias de employeer branding.

 

Perfil da vaga: Profissional tem que gostar de pessoas, ter facilidade em gestão de indicadores, capacidade de se envolver nas atividades dos times para prover soluções. Como as demandas por profissionais mais ligados às novas tecnologias têm aumentado, nota-se uma demanda por perfis com experiência empresas de serviço e de startups para trazer novas ideias às organizações.

 

Salário: R$ 13 mil a R$ 25 mil

 

Motivo para alta em 2018: Nota-se uma descentralização das atividades do RH para prover mais serviços ao negócio na ponta, tanto no papel de business partner quanto de gestão de serviços de RH.

 

Percentual de aumento no primeiro trimestre: 15%

 

Arquiteto de TI – Agro digital

 

O que faz: programa sistemas que usam integração de dados de diversas plataformas, como satélites meteorológicos, sensores de campo, tecnologia das máquinas e, claro, projetos de inteligência artificial e ciência de dados.

 

Perfil da vaga: capacidade de promover integração de sistemas, algoritmos analíticos e cognitivos, desenvolvimento de software e computação em nuvem, para atender as necessidades de produtores, empresas e clientes do setor.

 

Salário: R$ 9 mil a R$ 18 mil

 

Motivo para alta em 2018: desenvolvedores de TI estão em alta em todos os setores da economia, entre outros fatores, pela transformação digital acelerada que está em voga no mercado.

 

Percentual de aumento no primeiro trimestre: 25

 

DATAGRO