Tecnologia e Manejo

16/10

Silagem de Capim Elefante

Silagem de Capim Elefante

 

Como grande parte da produção de leite e carne no Brasil baseia-se no uso de pastagens, é importante buscar-se oportunidades em espécies forrageiras com alta produtividade e qualidade para alimentação de rebanhos bovinos, principalmente. Assim sendo, estudos sobre composição química de forragens, podem fornecer valiosas informações sobre o valor nutricional das mesmas. Levando-se em conta a redução nos constituintes mais apreciáveis da planta de acordo com o avanço da idade de crescimento, prolongar o tempo de crescimento da forragem no campo, significa perdas na qualidade nutritiva.

 

O capim elefante (Pennisetum purpureum), é uma espécie de gramínea muito utilizada na pecuária, principalmente para corte (silagem), o qual se destaca pelo potencial produtivo e pelo teor de carboidratos solúveis adequados à produção de silagem de boa qualidade. Nas regiões tropicais e subtropicais, quando adequadamente manejado, apresenta alto potencial de produção (30 a 50 t/ha/ano de matéria seca), teor de proteína bruta em torno de 12 a 20% nas folhas e digestibilidade de até 70%, lembrando que estes parâmetros são considerados para o período das águas (outubro a março) nas condições do Estado de São Paulo e em solos de boa fertilidade.

 

Além destas características, soma-se a boa resistência à seca, pragas e doenças. Gramíneas tropicais possuem rápido crescimento, devido à influência da temperatura ambiente e da alta luminosidade, resultando em variações na sua composição química e na digestibilidade. Portanto, a qualidade da forragem é fortemente influenciada pelo estádio de desenvolvimento da planta no momento do corte, devido às diversas alterações que causam aumento de seus compostos estruturais, como celulose, lignina e hemicelulose. Essas alterações modificam a estrutura vegetal, desta forma, plantas mais velhas apresentam quantidades menores de nutrientes potencialmente digestíveis.

 

Na produção de forragem, em regiões onde ocorre acentuada estacionalidade, resultante das duas estações climáticas bem definidas, seca e chuva, torna-se um problema, pois durante o período das chuvas o crescimento das forrageiras é favorecido, diferente do período de seca em que as condições climáticas adversas prejudicam o desenvolvimento das plantas. Desta forma, a idade recomendada para corte do capim elefante seria ao redor de 50 a 60 dias de desenvolvimento, acrescentando-se que quando a gramínea esta no ponto de corte indicado, seu teor de umidade é elevado.

 

Silagens com teores inferiores a 28 a 30% de matéria seca no momento do corte podem apresentar elevadas quantidades de efluentes e fermentação por bactérias do gênero Clostridium, o que resultará em perdas apreciáveis. Estas peculiaridades obrigam o produtor rural dar maior atenção a todas as fases do processo de ensilagem, a fim de assegurar as melhores condições fermentativas dentro do silo. O Instituto de Zootecnia disponibiliza o Boletim Técnico IZ 49 – Silos e Silagens, o qual foi elaborado para dar suporte ao produtor rural nos aspectos relacionados à produção de silagens

 

(Publicações Boletins Técnicos).

IZ 

 



Publicidade