Tecnologia e Manejo

10/08

SEAD aposta na diversificação de matéria-prima para a produção de biodiesel

SEAD aposta na diversificação de matéria-prima para a produção de biodiesel

 

A agricultura familiar vai ganhar novo mercado no Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB). Além das fontes oleaginosas, já conhecidas dos produtores familiares, os subprodutos de origem animal são a aposta da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (SEAD) para 2017. “Podemos ampliar a participação dos produtores e não ficaremos tão dependentes da soja, que representa mais de 99% da participação da agricultura familiar no programa”, explica o coordenador-geral de Biocombustíveis da SEAD, Marco Pavarino.

De acordo com dados da SEAD, em 2015, 72.485 famílias, nos arranjos do selo Combustível Social, forneceram matéria-prima para a produção de biodiesel, gerando cerca de R$ 4 bilhões para os agricultores. Atualmente há quase 900 mil unidades familiares que declaram bovinos de corte como um dos seus produtos. “Com os novos arranjos, boa parte desse público poderá se beneficiar do PNPB, já que o sebo bovino é excelente matéria-prima”, acredita Pavarino.

Existem experiências exitosas do fornecimento de subprodutos de origem animal para a produção de biodiesel. Empreendimentos familiares   comercializam sebo bovino, óleo de peixe e óleo de vísceras de frango. Desde abril deste ano a Cooperativa Agroindustrial (Coasul), de São João, no Paraná comercializa 300 toneladas de óleo por mês com a Petrobras para a produção de biodiesel.

A cooperativa já vinha fornecendo 150.000 toneladas de soja por ano para o PNPB. Para o gerente técnico e industrial da Coasul, Paulo Fachin, a iniciativa permite maior participação dos cooperados no PNPB e é um incremento na renda dos agricultores familiares. “Já produzimos 300 toneladas de óleo de vísceras de frango por mês. Estamos vendendo o que não seria aproveitado”, conta Fachin.

Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel

Criado em 2004, o Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB) visa implementar a produção e uso do biodiesel, com enfoque na inclusão social e no desenvolvimento regional, via geração de emprego e renda. A Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (SEAD) participa da gestão do programa criando formas de promover a inserção qualificada de agricultores familiares na cadeia de produção do biodiesel, além de prestar Assistência Técnica e Extensão Rural.

Entre as vantagens do combustível estão a menor emissão de gases do efeito estufa, a produção inteiramente nacional e o aproveitamento de subprodutos da cultura de oleaginosas e da gordura animal.

Amanda Guerra / Ascom 

MDA 



Publicidade