Tecnologia e Manejo

19/09

Produtividade e eficiência na reprodução de bovinos podem ser atingidas com uso da IATF

Produtividade e eficiência na reprodução de bovinos podem ser atingidas com uso da IATF

 

O desafio de aumentar a lucratividade e eficiência reprodutiva dos animais utilizando a técnica de Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) foi tema de encontro técnico na noite da última sexta-feira (15), em Rondonópolis. O Circuito Reproduz Brasil contou com as presenças de pecuaristas e técnicos, ofertando três palestras técnicas ministradas por especialistas.

 

A Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) é uma técnica desenvolvida para suprir as deficiências da inseminação artificial tradicional, que são as falhas de detecção de cios e a incapacidade de atingir fêmeas em anestro, que é o período de completa inatividade sexual, durante o qual não há sinais de manifestação de cio. A IATF é aplicada no rebanho através do uso de fármacos capazes de controlar e sincronizar o ciclo estral e a ovulação das vacas, de modo que, se possa inseminar essas fêmeas em horários pré-determinados e com boas taxas de concepção. Sendo também capaz de trazer fêmeas em anestro à ciclicidade. Vale a pena lembrar que, os fármacos e hormônios utilizados não prejudicam as fêmeas, pois são substâncias iguais ou similares às que participam do processo fisiológico do aparelho reprodutivo, e terminado seu efeito, não interferem em ciclos estrais posteriores.

 

A palestra ‘Importância da Gestão Aliada à IATF nos Processos de Intensificação Pecuário’, orientou os pecuaristas como obter bons resultados no procedimento de inseminação. O professor, médico veterinário e consultor em Gestão Agropecuária e Biotecnologia da Reprodução, Ângelo Gardim de Cesare, explicou um pouco sobre técnicas para aumentar a lucratividade e eficiência reprodutiva dos animais utilizando a técnica IATF. O professor destacou ainda o processo de conhecimento aliado a boas práticas. “Esse processo de conhecimento dos produtores é muito interessante, pois a pecuária tradicional tem perdido cada vez mais espaço no mercado financeiro e administrativo, o desafio hoje está muito grande para conseguir produzir resultados, conhecimento é importante para que o produtor consiga mudar as receitas antigas, adquirir tecnologia e conhecimento suficiente para entrar nessa competição agropecuária”.

 

O especialista técnico da Ourofino, Bruno Gonsáles de Freitas falou sobre ‘Estratégias para Incrementar a Taxa de Prenhez à IATF’ e orientações para contribuir com desempenho da produção. “Passamos aos pecuaristas estratégias novas que tanto os produtores como os técnicos podem utilizar para melhorar a eficiência da técnica de inseminação artificial em tempo fixo. Quanto mais eficiente for a IATF, mais rentabilidade a atividade vai dar para o produtor”.

 

Rodrigo Chirolli, gerente comercial da Ourofino destacou a importante do evento para os produtores. “Essa é a lida deles, para quem realiza a tecnologia da IATF receber essas informações atualizadas é fundamental para a eficiência na produção, esse estreitamento com os veterinários presentes tirando dúvidas recebendo conhecimento faz com que o trabalho dos pecuárias se torne um pouco mais fácil”.

 

Jeferson José Borges, produtor rural começou a usar a técnica IATF recentemente e veio ao evento se aprimorar. “A iniciativa do grupo nos possibilitou a busca por conhecimento, passo fundamental para melhoria da produção e eficiência no campo, tivemos oportunidade de conhecer melhor os indicadores, pesquisas e entender sobre o processo da IATF, comecei recentemente a usar a técnica e a palestra esclareceu muitas dúvidas.”

 

O diretor comercial da Zoofértil, Aylon Arruda, falou da importância da parceria com a Ourofino em trazer conhecimento ao produtor. “Essa é mais uma parceria da Zoofértil com a Ourofino no intuito de tratar informações, tecnologias e ferramentas para agregar para o produtor rural no que se diz a reprodução – IATF, lucratividade e eficiência”.

 

A última palestra ficou por conta do economista, pecuarista e consultor da Acrimat, Amado de Oliveira Filho, onde foi explicado aos presentes novas informações sobre as questões referentes ao FunRural. “Atualizamos e esclarecemos aos produtores dúvidas sobre o fundo, deixamos eles conscientes de que o projeto do senado aprovado não resolveu a questão e passamos aos produtores as possibilidades de solução dessa questão”.

 

Notícias do Mato Grosso 



Publicidade