Tecnologia e Manejo

16/06

Raça Wagyu

Raça Wagyu

 

Origem

 

O gado Bovino foi introduzido no Japão a partir da Ásia, através da península Coreana, por volta do século II com o objetivo de fornecer Tração para o cultivo de arroz. Os primeiros bovinos foram importados para a região de Shikoku. Devido à dificuldade de viagem no terreno montanhoso da região, a posterior migração do gado foi lenta e restrita. O gado tendia a ficar isolado em áreas pequenas e cada área tinha essencialmente urna população fechada.

 

O rebanho bovino no Japão ficou oficialmente fechado por mais de 200 anos por meio de um mandato de um shogun que durou de 1635 até 1854. Com a “Restauração Meiji”, em 1868, o governo encorajou a importação de outras raças Européias para a cruza. Cada uma das várias regiões onde se criava gado, preferiam raças distintas, de modo que a variedade regional tornou-se enorme. Em 1910, constatou-se que o cruzamento não havia sido benéfico e, mais uma vez, o rebanho nacional seria fechado para o cruzamento.

 

 

Características

 

A raça Wagyu é muito conhecida por ter um elevado grau de marmoreio e uma maciez inigualável na carne. A carne de animais da raça Wagyu também chamada de Kobe Beef e é reconhecida como a carne mais nobre do mundo, com um sabor único, maciez elevada e por ser mais saudável. Os Bovinos da raça Wagyu, possuem melhor conversão alimentar e uma maior habilidade de depositar gordura entre as fibras musculares com uma maior rapidez e eficiência em comparação com a outras raças de bovinos de origens Europeias e Asiáticas. 

A gordura dos bovinos da raça Wagyu possui uma concentração de ácidos graxos insaturados (oleico e linoleico) maiores do que as de ácidos graxos saturados (Palmíitico), ao contrario das raças de bovinos de origem Europeias. Isto resulta em uma carne com maior concentração de HDL (Lipoproteína de alta densidade conhecida com o bom colesterol) e uma menor concentração de LDL (lipoproteína de baixa densidade “mau colesterol”).

Nas características reprodutivas de bovinos da Raça Wagyu, notou-se em observação a campo que tanto machos como fêmeas da raça Wagyu atingem a puberdade em idades inferiores a raças européias como a Angus. A libido, conhecida como o apetite sexual dos touros, bem como os níveis de testosterona foram observados mais elevados nesta raça, porém a circunferência escrotal dos mesmos foi menor em comparação com animais de raças européias.

 

No entanto os níveis de produção espermática encontrados em bovinos da raça Wagyu foram maiores, o que sugere que estes animais apresentem células de Sertoli especializadas. As células de Sertoli são encontradas nos testículos dos animais e elas são responsáveis pela produção de espermatozóides nos machos. Estudos estão sendo realizados na Universidade de Passo Fundo no laboratório de Reprodução Animal do Hospital Veterinário para a identificação das diferenças Histopatológicas de testículos de bovinos da raça Wagyus em comparação com bovinos da raça Angus. 

Outra característica favorável da raça Wagyu é a facilidade de parto, não apresentando problemas de partos distócitos, sendo ideias para a utilização em novilhas de primeira cria. Animais da Raça Wagyu não são animais de grande porte, não necessitando de gastos maiores com suplementação alimentar na sua dieta. 

A raça Wagyu é indicada para a criação de quem tem interesse em iniciar a produção de animais com uma carne de alta qualidade. No futuro a busca por carnes de animais de alta qualidade irá aumentar, e a raça Wagyu é uma alternativa viável com um futuro promissor.

 

 

Fonte: Portal do Agronegócio - Ricardo Zanella - Méd. Veterinário CRMV/RS 9395, Mestrando do Department of Animal Sciences/Washington State University



Publicidade