Tecnologia e Manejo

08/02

Anatomia do Peixe

Anatomia do Peixe

 

 

Legendas (Detalhes da imagem)
  • A – Nadadeira dorsal
  • B – raios da nadadeira
  • C – linha lateral
  • D – Rim
  • E – Bexiga natatória
  • F – Aparelho de Weber
  • G – Orelha interna
  • H – Cérebro
  • I – Narinas
  • L – Olho
  • M – Brânquias
  • N – Coração
  • O – Estômago
  • P – Vesícula biliar
  • Q – Baço
  • R – Órgãos sexuais internos (ovários ou testículos)
  • S – barbatana ventrais
  • T – Espinha
  • U – Barbatana anal
  • V – Cauda (barbatana caudal)

Imagem: Wikimedia Commons

Sistema tegumentar

Pele: É lisa e contínua, estendendo-se ao longo do peixe completamente, inclusive nos olhos. No decorrer do corpo, percebe-se uma sequência de poros que formam a linha lateral. Esses poros se interligam com um canal longitudinal que fica logo abaixo das escamas no qual existem células mecanorreceptoras, que permitem ao peixe perceber mudanças na pressão ou ondulações provocadas por presas e predadores.

Sistema digestivo

Boca: a boca possui diversos formatos e estes estão relacionados diretamente à dieta alimentar e, mais precisamente, à forma de apreensão do alimento. Em geral, a boca é terminal e sua abertura pode ser à frente ou um pouco acima ou abaixo da linha mediana. Peixes que se alimentam próximo à superfície possuem a boca voltada para cima e os que se alimentam nas profundezas, já pertencem boca voltada para baixo.

Dentes: Geralmente, os dentes dos peixes são cônicos, podendo ter apenas uma cúspide ou várias. Algumas espécies possuem placas ásperas que são formadas por inúmeros dentes filiformes (estes dentes formam uma espécie de “lixa” dos bagres e mandis). Também são comuns, espécies desprovidas de dentes maxilares e/ou de dentes mandibulares.

Rastros: São estruturas ósseas, presentes nas laterais da faringe, que se prolongam do arco branquial. São responsáveis por sustentar os filamentos branquiais, que são a parte avermelhada da brânquia e possuem função respiratória.

Esôfago e estômago: o esôfago é curto e se comunica com o estômago, que por sua vez pode ter diversos formatos ou mesmo estar ausente. Nos peixes carnívoros, o estômago é particularmente grande, enquanto que nos onívoros e nos herbívoros é menos evidente.

Intestino e glândulas anexas: O fígado dos peixes é aparentemente grande e sua função está relacionada à produção de bile e aos ciclos de ácidos graxos. Adjacente e associado ao fígado está uma pequena vesícula biliar que se liga ao intestino pelo ducto biliar, por onde passa a bile. O pâncreas é um órgão difuso, mas apresenta as mesmas funções do pâncreas humano, que é a secreção de enzimas e de hormônios. O intestino grosso não é muito característico nos peixes, assim as funções de recuperação dos sais biliares são feitas em diversos locais do intestino delgado.

Sistema Respiratório

Os peixes respiram por meio de brânquias localizadas em uma câmara comum, denominada câmara branquial. Nos peixes ósseos, as brânquias são protegidas pelos opérculos, e nos peixes cartilaginosos ocorrem as fendas branquiais.

A bexiga natatória não faz parte do sistema respiratório da maioria dos peixes, possuindo uma função hidrostática. Esta estrutura permite ao peixe flutuar ou afundar com mais facilidade e se ajustar às diferenças de pressão ao nadar em profundidades distintas.

Sistema circulatório

O coração dos peixes é bastante simples e possui apenas duas câmaras, um átrio (aurícula) e um ventrículo.

Sistema Reprodutor

O sistema reprodutor é composto pelas gônadas (testículos e ovários) e pelos ductos por onde passam os gametas. As gônadas são formadas após o nascimento dos peixes e têm a mesma origem celular.

Por 



Publicidade