Tecnologia e Manejo

07/02

Cultivares Embrapa de capim-elefante são produtivas e econômicas

Cultivares Embrapa de capim-elefante são produtivas e econômicas

 

Duas cultivares de capim-elefante – BRS Capiaçu e BRS Kurumi – desenvolvidas pela Embrapa Gado de Leite estarão expostas no Show Rural da Coopavel, uma das maiores feiras agropecuárias da América Latina. O evento acontece dos dias seis a dez de fevereiro, em Cascavel – PR e contará com a presença de pesquisadores da instituição, que irão falar sobre o cultivo e as vantagens dessas variedades.

A BRS Capiaçu foi lançada no final de 2016 e três viveiristas estão cadastrados para comercialização. Dados da Embrapa indicam que a produção é de cerca de 50 toneladas de matéria seca por hectare/ano, média 30% maior do que as cultivares disponíveis, além de apresentar maior teor de proteína.

“A cultivar é de porte alto, ultrapassando cinco metros. O resultado é a elevada produção de biomassa, sendo essa a sua melhor característica”, afirma o pesquisador Mirton Morenz. A gramínea é indicada para cultivo de capineiras. No período da seca, pode ser fornecida para os animais picado verde no cocho ou como silagem.

A BRS Capiaçu representa uma alternativa para a produção de silagem de baixo custo. “O que se gasta com a produção de silagem de BRS Capiaçu é três vezes menos comparado à silagem de milho ou de sorgo”, diz o pesquisador Antônio Vander Pereira, que coordenou os trabalhos de desenvolvimento do cultivar. O valor nutritivo é comparável à silagem das forrageiras tradicionais e superior ao da cana-de-açúcar.

Diferente da BRS Capiaçu, a BRS Kurumi apresenta porte baixo e é destinado ao pastejo rotacionado. Os pesquisadores recomendam a entrada dos animais quando o pasto apresentar entre 75 e 80 cm de altura. A retirada dos animais deve ocorrer quando o rebaixamento atingir entre 35 e 40 cm. A taxa de lotação das pastagens varia de quatro a sete animais por hectare. O valor nutritivo também é um dos pontos fortes da BRS Kurumi. Os teores de proteína bruta têm variado entre 18% e 20%.

A propagação da BRS Kurumi, igual à Capiaçu, se dá por meio de estacas e o material já está disponível no mercado. O capim-elefante é uma gramínea perene de origem africana, com grande adaptabilidade às condições brasileiras. O BRS Kurumi é especialmente indicado para os biomas Amazônico, Cerrado e Mata Atlântica.

As duas cultivares foram obtidas por meio do Programa de melhoramento genético de capim-elefante da Embrapa. São o resultado do cruzamento de variedades pertencentes ao Banco Ativo de Germoplasma de Capim-elefante (BAGCE), mantido pela Embrapa. O Programa foi criado em 1991. A primeira cultivar desenvolvida foi o Pioneiro, lançada em 1996. O lançamento BRS Kurumi foi feito em 2012

Para obter mais informações sobre as cultivares, acesse os links na coluna da direita, visite o site da Embrapa Gado de Leite (www.embrapa.br/gado-de-leite) ou entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) pelos telefones: (32) 3311-7485 e (32) 3311-7486.

       
 

Rubens Neiva (MTb 5445) 
Embrapa Gado de Leite 
 
Telefone: (32) 3311-7532

 

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)

www.embrapa.br/fale-conosco/sac/



Publicidade