Tecnologia e Manejo

21/09

Import√Ęncia das Florestas Plantadas

Import√Ęncia das Florestas Plantadas

 

Não fossem as florestas plantadas você possivelmente não teria exemplares de jornais e revistas em suas mãos. O papel, no entanto, é apenas um dos milhares de produtos oriundos da indústria a partir das árvores cultivadas.

As florestas plantadas são importantíssimas para a vida humana porque viram matéria-prima para diversas indústrias que usam madeira serrada, extrativos de madeira, biomassa, celulose e madeira reconstituída, por exemplo, para transformar em outros produtos usados o dia a dia por nós. Especialmente para a região, o reflorestamento tem papel fundamental nas áreas econômicas, sociais e ambientais.

Dados do Anuário Estatístico de Base Florestal da Associação Catarinense de Empresas Florestais (ACR) mostram que, no ano passado, o segmento gerou mais de 92 mil empregos diretos para os catarinenses. O número de empregos diretos e formais gerados pelo setor florestal, em 2014, aponta a importância do setor para região: somente em Três Barras são quase três mil pessoas empregadas na área; em Canoinhas, o número chega à casa dos dois mil funcionários. Se contabilizarmos os empregos indiretos, os números crescem ainda mais. Para a economia catarinense, o setor florestal, de acordo com o presidente da ACR, Ali Abdul Ayoub, representa o segundo lugar no Produto Interno Bruto do estado.

Mitos

Por muito tempo o reflorestamento foi visto como vilão, especialmente no tocante ao meio ambiente. O presidente da ACR explica, no entanto, por que esta noção deveria ser extinta. "O plantio de pinus não requer nenhum tipo de adubo, o plantio de qualquer outra cultura agrícola requer o adubo uma ou duas vezes ao ano. Num local onde você tira a floresta, a terra é considerada virgem. Muitas das áreas convertidas hoje, por exemplo, se tornam até áreas agrícolas para semente de batata, que requer área virgem, demonstrando claramente que não existe impacto nessa retirada. Quem conhece o organismo árvore sabe que a reação do gás carbônico com a água, com a luz do sol nas folhas, forma a glicose, o açúcar e que esse açúcar reagindo dentro do organismo árvore, vira uma fibra que é celulose. Então o que realmente a floresta faz: a captura do CO2 da atmosfera para se tornar uma árvore, a madeira", explica.

As empresas do setor precisam cumprir rigorosas legislações de preservação: "na nossa região, querendo ou não querendo, 20% da área temos que manter como reserva legal com árvores, nativas preservando a biodiversidade. Temos que atender toda a legislação de áreas de preservação permanente. Então todas as cabeceiras dos menores córregos, por exemplo, têm que respeitar. Desta forma, uma propriedade para reflorestamento tem, em média, quando muito boa, 50% de aproveitamento, o restante, é preservação da biodiversidade", completa Ayoub.

Além disso, se compararmos com a principal atividade da região, o tabaco, a floresta é muito mais importante para a vida humana. A árvore gera milhares de outros produtos, enquanto a produção de tabaco – embora tenha uma contribuição econômica e social incalculável para a região – é cultivado exclusivamente para manter a dependência do cigarro.

Região apropriada

O Planalto Norte Catarinense é uma região apropriada para o desenvolvimento destas florestas e, por isso, o sul e sudeste do país concentram a maior parte do reflorestamento do Brasil. Com o clima, solo e altitude apropriados, essas espécies têm alcançado altos índices de produtividade – ou incremento – superiores até aos de seus países de origem. A produtividade de pinus em Santa Catarina é referência mundial. De acordo com o Anuário Estatístico de Base Florestal, os níveis são 40% acima da média nacional, 60% superiores à média da América Latina e 100% superior a dos Estados Unidos da América e África do Sul. "Ninguém consegue a taxa de crescimento que nós conseguimos", comemora Ayoub.

As florestas plantadas são culturas com ciclo definido de plantio, manejo, produção e colheita, como qualquer outra cultura. Canoinhas, Três Barras, Major Vieira, Irineópolis e Bela Vista do Toldo possuem, juntos, 53,3 mil hectares de pinus e eucalipto, de acordo com dados do IBGE/Epagri Cepa, referente à silvicultura em 2014. O pinus representa a maior área cultivada: são 39,4 mil hectares. Três Barras, pioneira nas indústrias que trabalham com papel e celulose, tem o maior território destinado ao reflorestamento. O município responde por 46% da área total. De acordo com dados da Secretaria da Fazenda do Estado de Santa Catarina, em 2014, o setor de fabricação de papel, cartolina e papel-cartão foi o que teve maior número no valor adicionado em Três Barras. O valor adicionado é componente principal para formação do Índice de retorno do ICMS aos Municípios. A produção florestal (florestas plantadas) aparece em quarto no município que possui mais de 19 mil hectares de pinus e cinco mil de eucalipto.

Correio do Norte 



Publicidade