Tecnologia e Manejo

01/10

Conheça O programa Poupança Florestal da Fibria

Conheça O programa Poupança Florestal da Fibria

 

O programa Poupança Florestal da Fibria iniciou em 1990, no Espírito Santo. Em 1991 foi implantado em Minas Gerais, 2001 na Bahia, 2004 no Rio Grande do Sul, 2003 em São Paulo e em 2005 no Rio de Janeiro.

Hoje, o programa engloba cerca de 2,9 mil contratos de cultivo – sendo que há produtores com mais de um contrato –, o que soma ao redor de 80 mil hectares plantados com eucalipto. “O Poupança Florestal é um programa que parte da legalidade. Assim, para que o produtor possa aderir, ele deve, obrigatoriamente, estar em dia com a Legislação Ambiental vigente e de acordo com as leis trabalhistas”, explica Ézio Tadeu Lopes, gerente de poupança florestal no Espírito Santo e Bahia.

Do plantio ao corte leva entre seis e oito anos, que é quando a planta atinge a idade técnica ideal de corte.

Segundo Lopes, dividindo a receita obtida com o corte pelos anos de crescimento do eucalipto, o produtor obtém uma renda líquida entre R$ 1,1 e 1,4 mil por ano, o que representa um bom incremento de renda para a propriedade.

“A ideia central do programa é que o eucalipto não substitua outras cultura, e sim, que seja uma opção na diversificação de renda. Tanto, que grande parte dos produtores emprega seu cultivo em sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta, ILPF”, revela.

A área cultivada por produtor depende das características de propriedade de cada região, indo de pequenos, médio a grandes agricultores, a investidores e profissionais liberais, inclusive, muitos destes nasceram no campo e agora estão retornando devido as possibilidades reveladas pelo programa. “Nossa proposta é levar mais uma fonte de renda e trabalho ao meio rural, uma forma de auxiliar as comunidades do campo”, destaca Lopes, acrescentando que esta parceria tem possibilitado a socialização e a recionalização do usa da terra, dando oportunidades e estimulando o homem a permanecer nomeio rural.

“Outro grande benéfico do Poupança Florestal é a preservação das matas nativas, pois a Fibria permite que até 3,5% da floresta plantada fique com o produtor. Assim, não há necessidade de derrubar a espécies nativas, seja para fazer lenha para consumo ou para empregar na construção de benfeitorias rurais”, aponta Lopes.

De acordo com a Fibria, o objetivo é estabilizar, a partir de 2015, o cultivo em nove mil hectares ao ano. Plantio que é financiado pelo programa, com a possibilidade de ser pago na hora da colheita.

“O próximo passo é buscar a certificação FSC, o que será bom para a empresa e para o produtor, que ficará blindado no que tange as questões trabalhistas e ambientais. Além disso, com a certificação, o agricultor receberá um bônus de 3% a mais no valor de venda por metro cúbico da madeira”, ressalta Lopes,

Hoje, o preço da madeira e corrigido semestralmente, o que traz mais segurança ao produtor. Quanto à colheita, o produtor pode optar por ele próprio realizá-la ou deixar a cargo da Fibria.

“O modelo de produção abre uma perspectiva de negócio sustentado para o produtor rural, que recebe incentivos para o plantio desde o primeiro ano do programa, com fornecimento das mudas de eucalipto para reflorestamento, assistência técnica, garantia de comercialização da madeira e educação ambiental. Isso estimula a geração de renda, a preservação do meio ambiente e a sustentabilidade no campo, ao permite o convívio da floresta com a produção de alimentos e a pecuária”, destaca Lopes.

Entre as principais vantagens em aderir ao Poupança Florestal estão:

Mudas de eucaliptos produzidas com tecnologia de última geração;
Acompanhamento profissional que orienta o manejo da floresta;
Planejamento da propriedade por meio da elaboração de planta (mapa) da área, com demarcação de estradas, talhões e Áreas de Preservação Permanente (APPs);
Qualificação de profissionais e produtores rurais;
Desenvolvimento dos conceitos de Certificação Florestal;
Garantia de compra da madeira.

Curiosidades:

  • Um hectare (ha) corresponde a uma área equivalente a 1 campo oficial de futebol.
  • Um metro cúbico (m³), unidade utilizada para medir a quantidade de madeira, corresponde a uma pilha de madeira sólida de 1 m de altura, 1 m de comprimento e 1 m de largura.
  • A unidade de crescimento da floresta é m³/ha/ano, que indica quantos metros cúbicos de madeira a floresta cresce por cada hectare no período de 1 ano.
  • Aos 7 anos de idade, uma árvore de eucalipto tem aproximadamente 25 m de altura e 18 cm de diâmetro.
  • Para formar 1 m³ de madeira, são necessárias de 3 a 5 árvores com 7 anos de idade.
  • 1 m³ de madeira pesa de 450 a 500 quilos, após ser eliminada toda a água da madeira.
  • Para produzir 1 tonelada de celulose são necessários 3,5 m³ de madeira ou 2 toneladas de madeira seca.
  • É possível produzir mais de 20 mil folhas de papel A4 a partir de uma árvore de eucalipto.
  • 1 hectare de plantio de eucalipto possibilita produzir aproximadamente o mesmo volume de madeira que 30 ha de floresta nativa, ou seja, em cada ha de plantações preservamos 30 ha de floresta nativa.

 

Uagro



Publicidade