Tecnologia e Manejo

08/08

Revista especializada levará conhecimento científico ao homem pantaneiro

Revista especializada levará conhecimento científico ao homem pantaneiro

 

Levar a produção científica ao homem pantaneiro e ampliar conhecimento e práticas que fazem do Pantanal um dos biomas mais preservados do planeta. Movidos por esta meta, um grupo de biólogos e pesquisadores da área produziram a revista Ciência Pantanal, lançada nesta quinta-feira (7), na sede da FAMASUL - Federação da Agricultura e Pecuária de MS. No mesmo evento também foram lançados o 16º Encontro do Povo Pantaneiro e o 4º Festival Pantaneiro.

"Nossa inspiração foi o homem pantaneiro", afirmou a coordenadora da WCS-Brasil, Alexine Keuroghlian, cujo primeiro exemplar foi distribuído aos participantes do evento. Bióloga, Alexine se emocionou ao contar que bate de porta em porta para realizar suas pesquisas sobre o queixada, um animal típico da região, e é sempre bem recebida pelos pantaneiros. A revista é uma forma de gratidão, justificou, complementando que há vários estudos científicos sobre a região que podem ser adotados pela comunidade pantaneira, melhorando seus índices de sustentabilidade.

Confirmando a integração entre ciência e homem do campo, a produtora rural da região, Marina Schweizer, afirmou que a revista desvenda os mistérios da região que o homem pantaneiro já conhece. Marina destaca que o pantaneiro consegue conviver com as adversidades do bioma porque aprendeu a amar e a respeitar a natureza. "O pecuarista da região aprendeu a superar as dificuldades de um lugar de extremos climáticos", enfatizou.

Em sua propriedade, Marina associou o turismo rural e ambiental à pecuária como complemento de renda e não cogita sair do local. "Minhas filhas são pantaneiras e certa vez, alguém falou perto de uma delas que o Pantanal era o paraíso. Ela disse: Não, o paraíso é branco e azul e o Pantanal tem todas as cores, por isso é muito mais bonito".

O diretor secretário da FAMASUL, Ruy Fachini, salientou a atuação do produtor rural diante da preservação do bioma e da relevância do acesso às informações científicas. "Há mais de 200 anos o produtor rural do Pantanal produz carne bovina de qualidade, mantendo a conservação do Bioma. Ele é um exemplo de sustentabilidade". O diretor da Associação Organização Não Governamental (ONG) Conservação da Vida Silvestre (WCS-Brasil), Carlos Durigan, veio da Amazônia para o evento. “O Pantanal é um bioma importante, com muitos projetos voltados para a conservação. É um exemplo para o Brasil e para o mundo”, valorizou.

De acordo com as informações do Departamento de Economia do Sistema FAMASUL, 16% do rebanho bovino de MS está no Pantanal, com total de 3,2 milhões de cabeças. "As ações do pantaneiro mostram que é possível unir a agropecuária com o meio ambiente, tanto que o bioma mantém 83% da sua cobertura vegetal original", destacou Fachini.

Durante o lançamento, o presidente da Sodepan, José Geraldo de Freitas, agradeceu o apoio da Famasul na realização do 16º Encontro do Povo Pantaneiro e do 4º Festival Pantaneiro, que serão realizados simultaneamente, em Aquidauana, entre os dias 13 e 15 de novembro, promovidos pela Sodepan - Sociedade de Defesa do Pantanal e pela Fundação de Turismo de Aquidauana, respectivamente. Para, José Geraldo de Freitas, a finalidade é manter viva as tradições pantaneiras e levar conhecimentos e informações sobre os costumes da região à sociedade sul-mato-grossense.

Participaram também do café da manhã do lançamento da revista e eventos do Pantanal, , o diretor-presidente da Fundect - Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Marcelo Turini, e o vereador Eduardo Romero.

Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul - FAMASUL
http://famasul.com.br/



Publicidade