Tecnologia e Manejo

19/08

Método de análise multirresíduo aperfeiçoa e agiliza a avaliação da qualidade do leite

Método de análise multirresíduo aperfeiçoa e agiliza a avaliação da qualidade do leite

 

O método multirresíduo permite a análise simultânea de quatro classes de substâncias no leite: a aflatoxina M1 (carcinogênica para humanos), as quatro avermectinas e uma milbemicina (presentes em fármacos de uso veterinário), e dez agrotóxicos organofosforados (presentes em fármacos de uso veterinário e em rações e pastagens). Todos estes analitos (substâncias que estão sendo analisadas) são monitorados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento através do Plano Nacional de Controle de Resíduos e Contaminantes (PNCRC). O método foi desenvolvido por Marianna Ramos dos Anjos, analista da Embrapa Agroindústria de Alimentos, em mestrado no Programa de Pós-graduação em Ciência de Alimentos da UFRJ, sob a orientação do Prof. Dr. Francisco Radler de Aquino Neto e da Profa. Dra. Virgínia de Lima.  "Foi uma oportunidade de trabalhar com uma nova ferramenta analítica, a cromatografia líquida de ultraeficiência acoplada à espectrometria de massas sequencial (CLUE-EMEM)", diz, satisfeita.

O aperfeiçoamento e a inovação em métodos de análise de resíduos e contaminantes em leite propicia aos produtores e órgãos de fiscalização uma ferramenta para a avaliação da segurança deste alimento. "A possibilidade de conhecer os teores de resíduos e contaminantes no leite permite o desenvolvimento e orientação de ações voltadas ao manejo, armazenamento e controle, assim como aplicação de boas práticas agropecuárias numa cadeia produtiva", diz Marianna. Com o método multirresíduo, o leite que antes precisava ser enviado a vários laboratórios, poderá ser analisado apenas em um, com custo menor e níveis de precisão dentro das normas internacionais.

A pesquisadora Izabela Castro, responsável pelo laboratório de Resíduos e Contaminantes da Embrapa Agroindústria de Alimentos, conselheira acadêmica de Marianna, lembra que "A Embrapa tem a missão de auxiliar o produtor para ele controlar melhor a qualidade de sua produção" e ressalta que são poucos os laboratórios que trabalham com classes químicas diferentes no mesmo método: "Este será incorporado à rotina do laboratório e vamos introduzir outros analitos presentes na composição de fármacos veterinários".

 

João Eugênio Diaz Rocha (MTb 19276 RJ) 
Embrapa Agroindústria de Alimentos 
 
Telefone: (21) 36229600



Publicidade