Tecnologia e Manejo

16/08

CTNBio aprova resolução sobre condições de isolamento da laranja doce geneticamente modificada

CTNBio aprova resolução sobre condições de isolamento da laranja doce geneticamente modificada

 

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou na sua 164ª reunião plenária, resolução normativa com as condições de isolamento para as novas liberações planejadas da espécie da laranja doce (Citrus sinensis) geneticamente modificada no meio ambiente.

 

Segundo a coordenadora-geral da CTNBio, Tassiana Fronza, a medida permite controle jurídico mais efetivo na regras do plantio. “Todas as novas pesquisas com laranja doce terão que seguir os critérios para o isolamento estabelecidos na resolução, como as regras de bordadura e distância de um plantio para o outro”, explicou. Bordadura é uma faixa ao redor do cultivo para evitar o fluxo daquela variedade.

A reunião incluiu palestra do pesquisador Paulo Barroso, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), sobre o uso de algodão transgênico. O liberação do plantio de algodão modificado no Tocantins está em análise pelos membros da CTNBio, que vão elaborar pareceres sobre o assunto. Esse ponto deve ser avaliado na próxima reunião, no dia 18 de setembro.

Sobre a comissão

Criada em 2005, a 
CTNBio é uma instância colegiada multidisciplinar, que visa prestar apoio técnico-consultivo e assessoramento ao governo federal na formulação, atualização e implementação da Política Nacional de Biossegurança, relativa a organismos geneticamente modificados (OGMs), também conhecidos como transgênicos.



Texto: Amanda Mendes – Ascom do MCTI



Publicidade