Tecnologia e Manejo

05/07

APTA: Irrigador solar é testado em canteiro de cana-de-açúcar

APTA: Irrigador solar é testado em canteiro de cana-de-açúcar

 

Destinado a hortas e jardins, a princípio, o irrigador solar começa a ser testado a partir de 05/07 em um canteiro de mudas de cana-de-açúcar na fazenda experimental da Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Jaú “Hélio de Moraes” (UPD) da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta).

 

A instalação ocorre um mês após a Embrapa Instrumentação (São Carlos – SP) também ter instalado na UPD as tecnologias sociais - fossa séptica biodigestora e jardim filtrante.

 

Destinado a produtores rurais, estudantes e público interessado, o dia de campo tem início previsto para as 8 horas. O pesquisador Washington Luiz de Barros Melo, responsável pelo desenvolvimento do irrigador solar, vai falar da pesquisa, benefícios da tecnologia às 10h15, logo após a palestra do pesquisador da UPD de Jaú, Glauber José de Castro Gava, sobre irrigação convencional.

 

A montagem do irrigador solar vai ocorrer às 12h30, sendo que a instalação do sistema no canteiro de cana-de-açúcar está programada para as 14h15. “É a primeira vez que vamos instalar o irrigador solar neste tipo de cultura, mas a expectativa é de que a tecnologia seja tão eficiente como é para hortas e jardins”, diz o pesquisador.

 

A instalação das tecnologias sociais da Embrapa Instrumentação faz parte do plano de readequação do Encontro de DNA – Desenvolvendo Nosso Negócio, que era realizado na Cooperativa Agrícola da Zona do Jahu e passa,a partir desta quarta edição, para a fazenda experimental da Apta, unidade de pesquisa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. O encontro será de 13 a 15 de setembro.

 

De acordo com a chefe da seção técnica da UPD, Gabriela Aferri, a mudança ocorre a fim de ampliar o espaço e incluir novas atividades associadas à exposição de materiais e tecnologias, como as de saneamento e irrigação que serão demonstradas no Encontro de DNA.

 

“A instalação dos sistemas – fossa séptica biodigestora, jardim filtrante e irrigador solar - deverão contribuir para tornar a fazenda experimental uma vitrine tecnológica, com transferência de conhecimento aos visitantes”, afirma Gabriela.

 

Irrigador solar

 

O irrigador é automático, não usa eletricidade e ainda pode ser feito com materiais usados. A tecnologia poderá ajudar de pequenos produtores a jardineiros amadores a manter seus canteiros irrigados pelo método de gotejamento.

 

O equipamento é baseado em um princípio simples da termodinâmica: o ar se expande quando aquecido. Melo se valeu dessa propriedade para utilizar o ar como uma bomba que pressiona a água para a irrigação.

 

As vantagens do irrigador caseiro são várias, conforme enumera o pesquisador. Trata-se de um sistema automático sem fotocélulas e que não demanda eletricidade, pois depende somente da luz solar, tornando sua operação extremamente econômica. Ele promove igualmente uma economia de água, pois utiliza o método de gotejamento para irrigar, o que evita o desperdício do recurso.

 

"Além disso, é possível construí-lo com objetos que seriam jogados no lixo, como garrafas e recipientes de plástico, metal ou vidro", lembra o especialista.

 

A versatilidade do equipamento também é grande. A intensidade do gotejamento pode ser regulada por meio da altura do gotejador e o produtor pode colocar nutrientes ou outros insumos na água do reservatório para otimizar a irrigação.

 

Joana Silva 



Publicidade