Tecnologia e Manejo

15/02

Globo Rural: Como Plantar Jambu

Globo Rural: Como Plantar Jambu

 

Por muitos anos com presença restrita às receitas típicas da Região Norte, o jambu tem conquistado novas fronteiras gastronômicas mais ao sul do país, inclusive estendendo-se a cardápios de restaurantes além-mar. De ingrediente de quitutes saborosos e dos famosos pratos pato no tucupi e tacacá da cozinha paraense, passou a frequentar outras mesas nacionais e internacionais graças, em especial, ao esforço de divulgação da culinária amazônica pelo chef de cuisine Paulo Martins (1946-2010).

 

Adicionado a arroz, pizza, pastel ou na forma in natura em saladas cruas, na cachaça e licor, além de seu sabor, o jambu é perceptível pelo leve efeito de formigamento que produz nos lábios e na língua de quem o consome. A sensação, que provoca salivação, faz a hortaliça ainda ser considerada uma erva medicinal, com propriedades odontológicas e de ação contra doenças da boca, garganta e cálculos da bexiga.

 

O processo de popularização da folhosa, também conhecida como agrião-do-pará, agrião-do-norte e agrião-do-brasil, tornou o jambu uma nova opção de cultura rentável para agricultores interessados em diversificar o plantio de hortaliças em qualquer parte do território nacional. O cultivo no Estado de São Paulo, por exemplo, tem se expandido, sobretudo, para áreas onde a temperatura média anual é superior a 15 ºC.

 

O jambu gosta de clima quente e úmido e pode ser manejado até em solos de várzea, quando bem drenados. Em um terreno preparado, o produtor dá conta sozinho de tratar de oito canteiros de 1,2 metro por 25 metros por dia. Em 60 dias, a planta já pode ser colhida, liberando espaço para a rotação de plantio de outras hortaliças.

 

A mesma técnica de hidroponia adotada para o crescimento de alface, inclusive em relação à solução nutritiva utilizada, pode ser aplicada ao jambu. O sistema tem como vantagem permitir a venda da folhosa sem raízes, versão que é adotada no comércio da hortaliça pré-cozida. De seis a sete maços da hortaliça limpa de talos mais grossos, folhas com defeitos e impurezas, lavados e mergulhados em água fervente por 2 a 3 minutos e embalados em sacos plásticos, rendem 1 quilo de jambu cozido.

 

Planta herbácea com 20 a 30 centímetros de altura, o jambu tem flores hermafroditas que realizam a autopolinização. As inflorescências são matéria-prima para uso na composição de produtos medicinais e cosméticos. Natural daqui, da Colômbia, Guianas e Venezuela, a hortaliça também tem cultivo voltado para o consumo como alimento em países da América Central, Europa e Ásia.

 

>>> INÍCIO A variedade de jambu mais cultivada tem folhas de cor verde-clara e flores amarelas. Com folhas verdes em tom mais intenso, há também o jambu roxinho, que possui ramos e inflorescências com nuances roxas. Antes de realizar o plantio, o terreno limpo deve receber raios de sol diretamente por, no mínimo, quatro dias seguidos.

 

>>> AMBIENTE Deve ser preferencialmente de clima quente e úmido, com temperatura média anual superior a 26 °C e umidade relativa do ar em torno de 80%. Contudo, estão apresentando bons resultados cultivos realizados em áreas do interior paulista com temperatura média anual acima de 15 ºC.

 

>>> PROPAGAÇÃO Pode ser por estacas de ramos ou por sementes, que é o método mais empregado. Use sementes de plantas deixadas no canteiro com maior desenvolvimento vegetativo e sem pragas e doenças. Porém, não é necessário que as sementes sejam livres de impurezas, que são facilmente decompostas. Após três a cinco dias de colhidas e postas para secar em ambiente ventilado, as inflorescências devem ser debulhadas. Evite realizar a semeadura no período chuvoso, pois as sementes retêm muita umidade.

 

>>> PLANTIO Os solos argilo-arenosos e ricos em matéria orgânica são os mais indicados. No entanto, se bem drenados, solos de várzea também podem ser utilizados para o cultivo do jambu. Faça a semeadura a lanço sobre um canteiro, cobrindo as sementes com uma leve camada de serragem. Distribua 10 gramas de sementes por metro quadrado de canteiro. Com palha ou sombrite, faça uma cobertura alta sobre o canteiro-sementeira, para reduzir a radiação em até 75%. Após a fase de germinação, a cobertura é retirada e com 25 a 30 dias é feito o transplante das mudas para o canteiro definitivo.

 

>>> ESPAÇAMENTO De 5 centímetros por 5 centímetros ou 10 centímetros por 10 centímetros é utilizado para colocar três ou quatro mudas juntas no local de plantio após serem transplantadas da sementeira. Outro processo é fazer a semeadura direta nos sulcos com espaçamento de 10 centímetros a 15 centímetros. O excesso de plantas germinadas é transplantado para outros canteiros, ficando as mudas distanciadas em 5 centímetros nos sulcos. A semeadura direta antecipa a colheita em dez a 15 dias.

 

>>> CUIDADOS Em vez de produtos químicos, a cama de frango é a fonte de adubo mais adotada para o cultivo de jambu depois da limpeza manual de ervas daninhas. Três dias antes do transplante, incorpore cerca de 30 litros de cama de frango para cada canteiro de 1,2 metro por 25 metros. Após o transplante, faça adubação complementar na proporção de 3 litros de adubo orgânico por 1 metro quadrado de canteiro, distribuídos a lanço entre as plantas. No período sem chuvas, são feitas duas irrigações diárias.

 

>>> PRODUÇÃO Média de um canteiro de 1,2 metro por 25 metros é de 250 maços de jambu depois de 30 dias da realização do transplante. Dependendo da fertilidade do solo, dos tratos culturais e da redução dos ataques de pragas e doenças, é possível obter até 400 maços de jambu por canteiro no verão. De maneira geral, as plantas de jambu são arrancadas e amarradas em maços ainda na área de cultivo; depois, são lavadas em um tanque próximo.

 

 

 

Mais informações: com Ronaldo da Silva Sanches, tel. e WhatsApp (91) 98203-7279

 

ComoPlantar (Foto:  )



Publicidade