Tecnologia e Manejo

18/01

Ourofino Saúde Animal: Vermifugação no período das chuvas

Ourofino Saúde Animal: Vermifugação no período das chuvas

 

 

Junto ao crescimento do rebanho brasileiro, que já ultrapassa os 212 milhões de cabeças, cresce também a busca por tecnologias e informações que possam auxiliar o homem do campo a alcançar melhores resultados. (ANUALPEC 2015).

 

No cenário da pecuária bovina, a criação possui um grande entrave, o prejuízo causado pelas verminoses. A gravidade das alterações causadas pelas verminoses gastrintestinais depende da espécie de helminto, hospedeiro, nível de contaminação ambiental, condições climáticas, tipos de produção, raça e idade dos animais. As taxas de mortalidade causadas por helmintos no Brasil são baixas, em contrapartida, alguns animais podem apresentar infecções maciças, nesses casos podendo acontecer a morte deles (Bianchin et al., 2007).

 

Por isso a importância de realizar um controle estratégico da verminose. Segundo Pinheiro et al. (2000) o ganho em peso de bezerros submetidos ao tratamento da verminose gastrintestinal, em comparação com animais sem tratamento, pode chegar a 50 kg/cabeça.

 

Borges et al. (2013) também relataram que a utilização de compostos químicos em bovinos de corte da raça Nelore, criados extensivamente, pode resultar em aumento de 11,85 Kg no ganho de peso, dependendo da formulação comercial e da concentração utilizada. Dados semelhantes também foram observados por Bianchin et al. (2007), que obtiveram acréscimo de 33 Kg de peso vivo em bovinos submetidos ao tratamentos com anti-helmínticos, quando comparados com animais controle.

 

Tanto os produtos como os protocolos utilizados devem ser adequados de acordo com as características de cada propriedade, dessa forma, os tratamentos e manejos prévios devem ser observados com muita atenção para evitar surtos e fazer um controle eficaz. É importante ressaltar que a verminose sempre irá existir, o propósito de controlar os helmintos é manter a infecção em níveis aceitáveis, onde o animal permaneça em boa condição sanitária e consiga atingir um nível que torne a produção viável.

 

As formas mais simples e, muitas vezes, mais eficazes para limitar o desenvolvimento de endoparasitos de bovinos são aquelas que levam em consideração, além da escolha adequada de anti-helmínticos, as características epidemiológicas dos parasitos, ou seja, um tratamento estratégico (Barger, 1997).

 

O tratamento estratégico sempre será a melhor forma de controlar a verminose nos animais da propriedade, porém nem sempre é possível realizá-lo, seja pelo tamanho do rebanho ou por desconhecimento das técnicas, apesar disso, o momento atual de muita chuva e calor aumenta o desafio parasitário e uma solução muito interessante seria fazer o tratamento tático, ou seja, desverminar os animais com Evol®, como essa formulação se trata de uma associação de sulfóxido de albendazole (10%) e ivermectina (0,8%) pode ser considerada um anti-helmíntico completo capaz de eliminar a carga de vermes dos animais que já estão infectados.

 

Por Pietro Jacometti Massari, analista técnico na Ourofino Saúde Animal



Publicidade