Tecnologia e Manejo

25/04

Doenças respiratórias em bovinos, fique atento as mudanças de temperaturas

Doenças respiratórias em bovinos, fique atento as mudanças de temperaturas

 

O Brasil apresenta uma grande diversidade de climas em seu território, fato evidenciado no período logo após o verão.

 

Na região nordeste, após o verão inicia-se o período chuvoso com mudanças bruscas de temperaturas alternando chuvas e frio durante o outono e inverno. Na região centro-sul do Brasil, começa o período seco e inicia-se o inverno perdurando até o mês de setembro.

 

O inverno e o período chuvoso, geralmente associada a exposição ao frio, predispõe os animais a serem acometidos de Doenças Respiratórias, principalmente as pneumonias, que vem a ser a inflamação dos pulmões, que causam sérios prejuízos a pecuária leiteira e de corte.

 

Na pecuária leiteira, os animais jovens e bezerros são os mais alvejados, podendo levar a óbito, além de gastos com medicamentos, perda de peso e outros problemas.

 

Na pecuária de corte, segundo Rezende (2017)[i] Em animais criados a campo ou em sistema semi-intensivo, a maior incidência de problemas respiratórios se dá logo após a exposição a alterações climáticas ou ambientais abruptas. Outra categoria que apresenta sérios problemas respiratórios, é o confinamento de bovinos, principalmente por exposição a poeiras e também ao período de inverno, devendo os profissionais e pecuaristas ficarem atento ao aparecimento desta doença.

 

O primeiro sinal clínico da doença é a febre, que pode ser observada por meio de termômetro e/ou da observação do animal com pelos arrepiados e chanfro seco e quente. Os animais ficam inapetentes, param de comer. Secreções nasais são observadas somente com a evolução da doença para o que se chama de fase 2 da doença, que indica a necessidade imediata de tratamento.

 

O diagnóstico da doença deve ser realizado pelo Médico Veterinário, que fechará o diagnóstico da doença após a realização de um exame clínico rigoroso.

 

Geralmente, o tratamento inicia-se com a base de antibióticos de amplo espectro para cessar e combater o ciclo bacteriano, tendo como tratamentos complementares a aplicação de anti-inflamatórios e complexos vitamínicos a base de vitaminas do complexo B e C.

 

No caso dos ruminantes (bovinos, caprinos e ovinos) deve-se observar a incidência de vermes pulmonares. Em caso de suspeita fazer a medicação correspondente a base Closantel e/ou outros vermífugos.

 

Como tratamento auxiliar, proteger os animais doentes, colocando-os em ambientes protegidos de ventos, em locais secos e limpos, além de promover a limpeza e higiene das instalações em caso do gado leiteiro e caprinos/ovinos.

 

Como sugestão, a Qualyagro/Farmácia na Fazenda possui uma série de publicações que auxiliam, o produtor, pecuarista e técnico a prevenir as doenças respiratórias e também informar uma lista de produtos que não devem faltar na Farmácia na Fazenda para o caso de ocorrências.

 

As publicações são : Os Manuais Farmácia na Fazenda (  e-book e CD) Pecuária de Corte, Pecuária de Leite, Produção de Caprinos & Ovinos, além dos Cursos on line ( DVD/on line) :Farmácia Gado de Corte, Gado de Leite e Haras, que contém uma lista de todos os produtos que não devem faltar em uma Fazenda ou Haras.

Até uma próxima oportunidade

 

Médico Veterinário, Doutor em História das Ciências Agrárias, Professor dos Cursos de Medicina Veterinária da UNIME e UNIFACS, autor do livro: Como montar uma Farmácia na Fazenda. Contatos: guilherme@farmacianafazenda.com.br

[1] Rezende, M. Médico Veterinário, especialista em Clínica de Grandes Animais.



Publicidade