Tecnologia e Manejo

17/01

Diarreias: Diferenças importantes

Diarreias: Diferenças importantes

 

 

Na primeira fase de vida dos bovinos, sem dúvida, as diarreias são uma das enfermidades mais comuns e causadoras de muitos prejuízos para o produtor rural. Sendo uma doença multifatorial, devemos classificar diarreias sempre no plural, pois muitas são as causas e diversos são os agentes que podem estar envolvidos nestes casos.

 

Os agentes possíveis podem ser desde vírus até protozoários, passando também por bactérias. Muitas vezes, tais problemas se devem ao fato da lotação/proximidade de animais em diferentes fases de desenvolvimento, pois idades muito próximas apresentam necessidades e desafios completamente distintos. Por este motivo, os casos também podem se manifestar em forma de surtos acometendo um número muito elevado de indivíduos de uma só vez. Dependendo da apresentação do problema, podemos supor qual o agente e, muitas vezes, até as possíveis fontes de contaminação que levaram os animais a desenvolver o quadro. Para tanto, devemos ter em mente que os agentes causadores estão presentes e circulando no ambiente dos animais. Para caracterizar as diferenças entre cada caso repassaremos as fases de vida do animal.

 

A primeira fase de vida é quando o bezerro está na dependência total da alimentação que lhe é fornecida, ou seja, o leite. Muitos confundem os primeiros casos de diarreia como sendo causada pelo leite. As fezes têm aparência branca ou amarela e são chamadas de “diarreia do leite”. No entanto a descrição é equivocada, pois o alimento bem manipulado e de qualidade não causa problema, mas quando o leite é manuseado de maneira errada e há contaminação o problema surge. Então temos uma situação extremamente grave com desidratação, podendo até mesmo ocorrer o quadro de choque endotóxico e, consequentemente o óbito do animal. O agente envolvido nestes quadros é o mesmo das mastites ambientais agudas, E.coli; tal bactéria faz parte do sistema digestivo do animal e deve estar presente, mas um excesso ou uma variante muito agressiva pode desencadear o problema.

 

Sendo o problema causado por um agente específico, devemos tratar de maneira efetiva com antibióticos com comprovada potência e penetração no intestino, pois o agente está presente na luz intestinal. Neste caso, a Doxiciclina, presente no Corta Curso da Ourofino Saúde Animal, é muito interessante porque o produto tem a presença do Bezantimide que é um potente modulador do peristaltismo intestinal, reduzindo assim a desidratação e a enfermidade.

 

A próxima diarreia apresentada tem características diferentes principalmente na coloração, pois é esverdeada ou acinzentada. A diferença se deve ao agente envolvido, neste caso uma bactéria que não é natural do sistema digestivo dos bovinos, mas sim das aves, a Salmonela sp.. A exposição a este agente se deve ao fato do período de vida do animal, em torno dos 20 dias de vida, pois nesta fase o bovino começa a se alimentar com outros alimentos, como ração e água. Mesmo a ingestão ainda ser quase insignificante, tal fato faz com que os alimentos fiquem mais expostos e a consequência é o acesso de aves aos cochos e a simples presença delas favorece a contaminação por Salmonela aos cochos e o resultado pode ser o desenvolvimento de quadros menos graves que os primeiros, pois o animal apresenta resposta orgânica melhor e mais efetiva, facilitando o tratamento e a recuperação do indivíduo. Para esses casos, muitas vezes, o próprio animal consegue a recuperação, mas o uso de antibióticos é uma ferramenta muito importante. Nestes casos podemos também utilizar o Corta Curso.

 

Os casos relatados acima são relacionados a bactérias. Quando passamos a focar diarreias com sangue, temos outro tipo de agente, os vírus. Tais agentes são responsáveis por lesões mais graves no tecido intestinal, pois dependendo de qual temos um comprometimento maior ou menor das vilosidades intestinais. O primeiro agente viral que podemos citar é o corona vírus. Ele promove a destruição celular das vilosidades e a forma de apresentação são fezes com a consistência alterada e as presenças de fragmentos de tecidos e sangue devido ao tipo de lesão no órgão. Outro agente viral importante em bovinos é o Rotavirus que promove uma destruição das vilosidades de maneira a promover o aparecimento de tecidos e sangue, além de muco nas fezes. A consequência também é a síndrome de má absorção por redução da superfície absortiva do tecido. Estes são os dois agentes virais mais comuns relacionados a diarreias em bovinos. Para o tratamento dessas diarreias é necessária a terapia de suporte com o uso de fortificantes, como Cálcio Reforçado e Fortemil, além de a utilização de antibióticos para evitar infecções secundárias relacionadas às bactérias presentes na luz intestinal.

 

Quando lidamos com esses quadros, devemos sempre levar em consideração a utilização de terapias de suporte visando reestabelecer as funções normais do órgão afetado. Os repositores de flora, como o Biobac, são muito importantes tanto durante o tratamento como após o mesmo, objetivando a colonização benéfica e efetiva do mesmo. A colonização direcionada do intestino promove uma melhor digestibilidade e consequente aproveitamento dos alimentos fornecidos aos animais, com a necessidade do uso do Bioplus PS durante as primeiras fases de vida do bezerro, pois os resultados da utilização de tal produto no leite promove um incremento na saúde e sanidade do trato digestivo, reduzido os prejuízos relacionados aos problemas de diarreia.

 

Por Marcelo Arne Feckinghaus, Pietro Massari e Marcel Onizuka, do Departamento Técnico da Ourofino Saúde Animal



Publicidade