Tecnologia e Manejo

11/01

Caixa Econômica Federal: Linhas de crédito rural para Cooperativas

Caixa Econômica Federal: Linhas de crédito rural para Cooperativas

 

O agronegócio segue alavancando a balança comercial brasileira, mesmo em anos de crise econômica. Segundo dados da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB), quase a metade da produção nacional está nas mãos de cooperativas agrícolas, entidades formadas por agricultores que se unem para ganhar escala e organizar a produção. Com o objetivo de atender um número cada vez maior de produtores, desde que começou a trabalhar com crédito rural, há quatro anos, a Caixa procura tratar com especial relevância esse segmento: “Estamos focados em trabalhar com agilidade e simplicidade para atender às mais variadas demandas das cooperativas”, explica Márcio Recalde, superintendente de Agronegócio do banco.

Dirceu Bayer, presidente da Languiru, está satisfeito com a parceria. A cooperativa, fundada em 1955, no município gaúcho de Teutônia, tem hoje mais de 6 mil cooperados, basicamente produtores de aves, suínos e leite. “Fomos a primeira cooperativa a trabalhar com a Caixa aqui no Rio Grande do Sul. Já fizemos diversas operações com eles. São recursos que permitem investir na pequena propriedade”, diz Dirceu. O presidente da Languiru comemora ainda um aumento no faturamento: "A Caixa acreditou em nossos projetos, ofereceu novos limites de crédito e, com isso, crescemos 12% em 2016”.

A Caixa conta hoje com pelo menos sete linhas de crédito para as cooperativas agrícolas. As taxas de juros variam entre 8,5% e 11,25%:

1. Industrialização

Crédito que cobre despesas com mão de obra, serviços e outros itens ou encargos necessários para beneficiar ou industrializar produtos agropecuários

2. Atendimento a Cooperados

Com esse recurso, a cooperativa pode comprar insumos, sementes, máquinas e outros itens de custeio e de investimento para repassar aos seus cooperados com um custo menor.

3. Adiantamento a Cooperados

Permite antecipar o pagamento dos produtos entregues pelos agricultores. Assim, a cooperativa pode continuar com os produtos armazenados e comercializar no futuro, aproveitando as oportunidades de mercado.

4. Custeio de Integração

Cobre despesas com a aquisição de insumos, ração, vacinas, medicamentos, o frete, a assistência técnica e os serviços das atividades de suinocultura e avicultura de corte exploradas sob o regime de parceria.

5. FGPP

Crédito para cobrir os custos de aquisição de produtos agropecuários para beneficiamento, garantindo que o preço pago pelo produtor não seja inferior ao Preço Mínimo.

6. BNDES MODERFROTA

Crédito para a aquisição de tratores e máquinas agrícolas, novos, de fabricação nacional e credenciados no BNDES.

7. BNDES PCA

Recurso destinado exclusivamente a projetos de ampliação, modernização, reforma e/ou construção de armazéns.

 

Globo Rural 



Publicidade