Tecnologia e Manejo

08/11

Embrapa lança soluções tecnológicas para alimentação e sanidade de caprinos e ovinos

Embrapa lança soluções tecnológicas para alimentação e sanidade de caprinos e ovinos

 

O aplicativo para telefone celular de orçamentação forrageira e o portal Paratec, que reúne informações sobre controle de parasitoses na pecuária brasileira, foram lançados nesta terça-feira (7) no Seminário Inovação Tecnológica e Política Pública para a Caprinocultura e Ovinocultura, durante o SemiáridoShow em Petrolina (PE). Os usuários de telefones celulares com o sistema operacional Android já podem fazer o download do aplicativo, em celulares ou tablets pelo link: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.embrapa.orcamento_forrageiro. O portal Paratec também já pode ser acessado pelos internautas no www.embrapa.br/paratec-home.

Na apresentação da tecnologia, a pesquisadora Ana Clara Cavalcante, da Embrapa Caprinos e Ovinos (Sobral, CE), afirmou que o aplicativo vem para facilitar os cálculos da orçamentação para estimar a reserva alimentar e tomar decisões referentes ao manejo de forrageiras ou ajuste da quantidade de animais na propriedade. “Hoje a maior parte das pessoas já usa aplicativos de smartphones, então a ideia foi criar uma ferramenta que, com as informações da propriedade rural, possa auxiliar o produtor nessas tomadas de decisão”, ressaltou ela.

Com o aplicativo, cada usuário poderá inserir dados sobre as características dos seus rebanhos, consumo de alimentos pelos animais, fontes de forragem e uso de suplementos alimentares, para fazer simulações sobre sua realidade ao longo do tempo e, assim, adotar um melhor planejamento alimentar. Com as informações das simulações, é possível estimar a quantidade necessária de produção ou armazenamento de forragem, ou ainda optar pelo descarte de animais, caso necessário.

Segundo Ana Clara, a expectativa é usar os recursos forrageiros de forma eficiente de modo a evitar problemas como a degradação do ambiente pelo pastejo. “O importante é que o produtor possa fazer suas simulações e ajustar os resultados à sua realidade. Se ele precisar reduzir a quantidade de animais e em algum período a venda for mais favorável, o aplicativo pode ajudar para que ele faça isso antes que o preço baixe. Com um uso mais eficiente de recursos forrageiros, a propriedade pode ter melhor retorno e condição favorável para produzir no semiárido”, afirmou a pesquisadora.

O aplicativo é um dos resultados do projeto “Forrageiras para o Semiárido”, em parceria com a Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e foi desenvolvido pela equipe do Núcleo de Tecnologia da Informação da Embrapa Gado de Corte (Campo Grande, MS). O projeto testará alternativas de forrageiras adaptadas a diferentes regiões do semiárido brasileiro.

O portal do Programa Integrado de Controle de Parasitoses foi apresentado pelo pesquisador Marcel Teixeira, da Embrapa Caprinos e Ovinos. Ele destacou que o portal servirá como ferramenta para integrar pesquisa, extensão rural, comunicação e educação, sendo voltado para públicos como produtores rurais, médicos veterinários, zootecnistas, técnicos e consultores de venda de produtos agropecuários.

Com informações alimentadas por profissionais da Embrapa e instituições parceiras, o portal pretende favorecer ações de controle de vermes, carrapatos, moscas, vermes, piolhos e sarnas, voltadas para as realidades específicas dos biomas brasileiros. Neste primeiro momento, já estão disponíveis as informações sobre controle de verminoses em caprinos e ovinos na caatinga. Em breve, também trará recomendações para outros biomas e para a bovinocultura. Os demais programas serão lançados futuramente.

“No portal já temos ferramentas como vídeos sobre coleta de fezes, aplicação de medicamentos, uso do método Famacha [que ajuda na identificação da necessidade de vermifugar os animais], tudo reunido de forma simples e prática”, frisou Marcel, que justificou que a presença de parasitoses é um dos problemas sanitários mais frequentes da pecuária brasileira e sua lógica de controle precisa ser alterada, com o uso de alternativas que não se limitem somente ao uso de medicamentos.

“Essa forma tradicional, baseada somente no uso de medicamentos está praticamente insustentável. No controle parasitário moderno, devemos atacar de diferentes formas, mantendo uma baixa carga parasitárias, que não comprometa o desempenho produtivo, e reduzir o uso de medicamentos, para retardar a resistência parasitária às drogas”, explicou o pesquisador.

De acordo com Marcel, além de levar informações para melhorar o alcance do controle integrado e colaborar para adoção de suas práticas, o portal também vem para divulgar e incentivar as oportunidades de capacitação, registrar resultados de testes de eficácia de medicamentos no território brasileiro e servir para interação com o público. “Com o retorno dos usuários, poderemos conhecer melhor a realidade, agindo com inteligência estratégica”, afirmou ele.

Tecnologias para nutrição
Além dos lançamentos, o Seminário também foi espaço para apresentação de soluções tecnológicas voltadas para nutrição animal: o Serviço de Assessoria Nutricional Remota para Pequenos Ruminantes (AssessoNutri), lançado em julho deste ano, e a mistura múltipla para caprinos e ovinos, que será alvo de 
campanha da Embrapa junto a produtores rurais para orientar sobre seu uso. Ambas foram mostradas pelo pesquisador Diego Galvani, da Embrapa Caprinos e Ovinos.

Segundo ele, uma das principais vantagens do AssessoNutri é a possibilidade de identificar, de forma mais precisa, os nutrientes que animais colhem ao se alimentar da pastagem. Com esses dados, obtidos por meio de coletas de fezes dos animais, analisados com a tecnologia da Espectroscopia de Infravermelho Próximo (NIRS), é possível orientar a composição de dietas e se há necessidade de suplementar os rebanhos. O serviço já está à disposição de usuários interessados, em pacotes individuais ou coletivos.

O pesquisador também traçou orientações para uso da mistura múltipla, suplemento para facilitar a digestibilidade e aproveitamento da forragem nos períodos secos. Ele destacou que o suplemento só deve ser fornecido aos rebanhos no período que vai da transição para pastagem seca até o início das primeiras chuvas e mencionou as vantagens da nova formulação, que facilita o uso por dispensar o período de adaptação necessário na fórmula mais antiga.

Rota do Cordeiro
O Seminário teve, ainda, apresentação da publicação “Bases Nacionais para o Plano Nacional de Desenvolvimento da Rota do Cordeiro”, que reúne informações obtidas em oficinas de concertação em 14 polos de produção de caprinos e ovinos no Brasil, conduzidas pelo programa. De acordo com o pesquisador Octávio Morais, da Embrapa Caprinos e Ovinos, a publicação retrata uma necessidade dos programas colocarem os atores do setor produtivo como protagonistas do desenvolvimento, tomando suas demandas como referências.

A apresentação também contou com a participação de Vitarque Coelho, gestor público do Ministério da Integração Nacional, que frisou a necessidade de esforço continuado para a mobilização e organização necessárias ao fortalecimento da caprinocultura e da ovinocultura como cadeias produtivas. A apresentação foi concluída com o depoimento do produtor rural Edmir Sousa, da Coopercapri, que reforçou a necessidade de engajamento para que caprinocultura e ovinocultura não sejam somente atividades de subsistência no país.

A publicação pode ser acessada clicando aqui: http://www.mi.gov.br/documents/10157/4177578/Rota+do+Cordeiro-web.pdf/7b666f05-6ace-4412-bb5d-68d029219587

Também estiveram presentes o chefe do Departamento de Transferência de Tecnologia da Embrapa, Fernando Amaral; o chefe-geral da Embrapa Semiárido, Pedro Gama; o chefe adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Caprinos e Ovinos, Vinícius Guimarães.

 

Adilson Nóbrega (MTB/CE 01269 JP) 
Embrapa Caprinos e Ovinos 
 
Telefone: (88) 3112,7413

 

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)

www.embrapa.br/fale-conosco/sac/



Publicidade