Tecnologia e Manejo

03/11

Raça Nelore também terá julgamento a campo

Raça Nelore também terá julgamento a campo

 

Julgamento a Campo é a nova modalidade de avaliação de animais da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB) para identificar e premiar os exemplares geneticamente superiores da raça Nelore que são criados e manejados em regime alimentar de pasto. A expectativa da ACNB é de que essa novidade resulte em um campeonato nacional no futuro.

 

A nova modalidade conta com regulamento especialmente desenvolvido para o novo projeto e a primeira edição do Julgamento a Campo vai acontecer no mês de fevereiro de 2017, no Parque de Exposições Fernando Costa, em Uberaba/MG.

 

“Algumas experiências no julgamento deste tipo de animais já foram realizadas em outras raças zebuínas e taurinas, e também no Nelore. Mas as regras de julgamento desenvolvidas pela ACNB são inéditas entre as promocionais do zebu”, afirma Marcos Pertegato, gerente técnico administrativo da ACNB.

 

De acordo com o regulamento, podem participar animais Nelore e Nelore Mocho, sendo que não haverá divisão entre as raças. Serão avaliados machos PO, fêmeas PO e LA, classificados entre os TOP 20% ou superior, e com pai e mãe classificados entre os TOP 50% ou superior, em qualquer programa de melhoramento genético reconhecido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

 

Segundo Pertegato, para a participação na nova modalidade de julgamento os animais deverão também atender os limites estabelecidos na tabela de pesos máximos, que variam de acordo com a idade e o sexo. Os campeonatos e categorias serão divididos entre Bezerros (2 categorias), Sobreano (3 categorias), Garrote/Novilha (5 categorias), Touro Jovem/Fêmea Jovem (6 categorias) e Conjunto Progênie de Pai.

 

Estes animais serão julgados individualmente, exceto progênie de pai que pode ser formada por três animais filhos do mesmo reprodutor, sendo um de sexo diferente. Cada categoria deve ter no máximo 10 animais. Para o julgamento, os participantes serão colocados em currais, lado a lado, e avaliados por um único jurado ou até um trio de jurados, sendo que é obrigatório três profissionais quando a exposição superar 300 animais inscritos.

 

O Julgamento a Campo também tem um grande diferencial nos quesitos de avaliação e formação da nota final. Os animais serão avaliados sob três aspectos: Carcaça, (estrutura e musculatura), Funcionalidade (aprumo, precocidade sexual e sexualidade) e Raça. Para cada quesito o juiz dará uma nota de 1 a 5. A nota final será calculada de acordo com o peso de cada quesito: carcaça 40%, funcionalidade 30% e raça 30% da nota final.

 

É importante ressaltar que o novo julgamento é voltado para um perfil de criador, selecionador de reprodutores, e o papel da ACNB é envolver todos os perfis de produtores que trabalham com a raça Nelore. “Nossos projetos são complementares, sempre buscando valorizar e incentivar o melhoramento genético, com produtividade e eficiência”, afirma Andre Locateli, gerente executivo da ACNB.

 

ABCZ 



Publicidade