Tecnologia e Manejo

30/11

Ganho da avicultura com o uso do probiótico GALLIPRO MAX

Ganho da avicultura com o uso do probiótico GALLIPRO MAX

 

Na produção avícola, o grande objetivo é a alta produtividade, aliada à qualidade dos produtos finais. Para isso, a indústria de produção avícola vem utilizando aditivos melhoradores de desempenho e antibioticoterapias.

 

O uso indiscriminado de antibióticos desde a década de 50 acabou resultando em populações bacterianas resistentes (FULLER, 1989), gerando um desiquilíbrio na simbiose entre a microbiota intestinal desejável e o animal (MULDER, 1991).

 

Torna-se evidente a necessidade de produtos alternativos que possam ser utilizados com aditivos melhoradores de desempenho e uma alternativa  são os probióticos, produtos constituídos por microrganismos vivos e que quando administrados em quantidade adequada junto à alimentação animal, trazem benefício à saúde intestinal através da modulação de sua microbiota (FULLER, 1989). A eficácia do probiótico é estritamente dependente da quantidade e de características das cepas dos microrganismos utilizados na elaboração do aditivo alimentar (JIN et al., 1997; TOURNUT, 1998).

 

De acordo com Tournut et al. (1998) o primeiro uso de probióticos teve como finalidade atuar como competidor de bactérias patogênicas e coccídias (exclusão competitiva) e, recentemente, tem sido utilizado como melhorador de desempenho.

 

O uso de probióticos como melhorador de desempenho pode resultar em aumento do ganho de peso e melhora na conversão alimentar, com maior rendimento de carcaça, além de melhorar a palatabilidade da carne de frangos, como relatado por DILWORTH e DAY (1978), OWINGS et al. (1990), JENSEN e JENSEN (1992), BERTECHINI e HOSSAIN (1993), ENGLAND et al. (1996) e JIN et al. (1998).

 

A administração de Bacillus subtilis (SANTOSO et al., 1995; FRITTS et al., 2000) na ração aumentou o ganho de peso e melhorou a conversão alimentar de frangos de corte. E atualmente este tipo de bactéria tem sido empregada amplamente na produção avícola, principalmente devido a suas características de boa modulação da microbiota com ganhos produtivos e sanitários.

 

Figura: Bacillus subtilis

 

Um dos probióticos utilizados, baseado em Bacillus subtilis, é o GalliPro® Max, probiótico voltado a resultados de desempenho significativos e consistentes.

 

O GalliPro® Max é formulado com uma cepa patenteada e específica de Bacillus subtilis HLB. Além de desenvolver uma excelente modulação da microbiota garantindo a eubiose intestinal, esta cepa foi selecionada e desenvolvida devido sua caracterítica de alta produção de enzimas, o que faz GalliPro® Max um probiótico exclusivo.

 

A adição continuada de GalliPro® Max na ração proporciona o desenvolvimento de uma microbiota bacteriana diversificada no intestino das aves, resultando em uma microbiota mais robusta e saprófita que irá prevenir a instalação e o desenvolvimento de uma colonização patogênica, além de estimular uma melhor resposta imune das aves.

 

Os benefícios gerados com a utilização do GalliPro® Max incluem aumento significativo do ganho de peso e melhora da eficiência alimentar, redução no custo alimentar, pois  resulta em melhor utilização dos nutrientes ingeridos e o aumento da capacidade de absorção. Como benefícios secundários pode reduzir a taxa de mortalidade e melhorar a qualidade da cama. É compatível com outros aditivos utilizados na ração e pode ser usado em rações peletizadas, além de ser comprovadamente seguro para seres humanos, animais e para o meio-ambiente.

 

GalliPro® Max é recomendado para aves e deve ser administrado via ração nas seguintes dosagens: para frangos de corte e reprodutoras de 500-1000 gramas por tonelada de ração; e poedeiras 250-1000 gramas por tonelada de ração.

 

Por Rafaela Fochi Ramires, consultora técnica em avicultura na Ourofino Saúde Animal



Publicidade