Tecnologia e Manejo

03/10

Estudo identifica itens que mais pesam nos custos de produção do arroz

Estudo identifica itens que mais pesam nos custos de produção do arroz

 

A manutenção das máquinas agrícolas e o uso de sementes, fertilizantes e defensivos no cultivo de arroz são os principais itens que compõem os custos de produção deste cereal no principal Estado produtor: o Rio Grande do Sul.

 

Estudo realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) revela que a participação expressiva do maquinário nos gastos se deve ao uso em solos úmidos ou alagados, condição que propicia maior desgaste, e à alta abrasividade do arroz em casca, que provoca a degradação dos equipamentos de colheita e secagem.

 

Intitulado “Evolução dos custos de produção e rentabilidade do arroz irrigado gaúcho nos anos-safra 2006/07 a 2016/17”, o trabalho mostra que as máquinas representam 20,67%, 18,13% e 19,78% dos custos de produção em Cachoeira do Sul, Itaqui/Uruguaiana e Pelotas, respectivamente. Já sementes, fertilizantes e agrotóxicos correspondem a 28,71% dos custos em Cachoeira do Sul, 33,02% em Itaqui/Uruguaiana e 26,24% em Pelotas.

 

Na análise de rentabilidade, o estudo revela que a partir da safra 2012/13 os indicadores foram positivos nas localidades analisadas. De acordo com o superintendente de Informações do Agronegócio da Conab, Aroldo de Oliveira Neto, os preços recebidos pelos produtores têm relação direta com a localização geográfica da produção, com a logística e com o comportamento da produtividade. “A receita bruta positiva do produtor também está relacionada com os resultados na implementação dos novos pacotes tecnológicos. O aumento nos custos operacionais é compensado pelo incremento da sua lucratividade”, ressalta.

 

A inclusão de dados nacionais no trabalho posiciona o Brasil como 6º maior produtor mundial de arroz em casca, com 1,78% da produção do planeta. O País é também o maior mercado consumidor fora da Ásia e o 18º do mundo em relação à produtividade média. Nos dois maiores Estados produtores brasileiros, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a produtividade gira em torno de 7 mil kgs por hectare.

 

DATAGRO 



Publicidade