Tecnologia e Manejo

27/08

Secagem auxilia na produção de colostro

Secagem auxilia na produção de colostro

 

Os bezerros recém-nascidos necessitam de uma série de cuidados que serão responsáveis por garantir a saúde do animal. O fornecimento do colostro, primeiro leite secretado pela vaca após o parto, é uma das medidas fundamentais que irá garantir a transferência adequada de anticorpos para o bezerro.

Diferentemente de outros mamíferos, a placenta dos bovinos não permite a transferência de anticorpos da mãe para o feto, por isso a necessidade do consumo da substância que é rica em nutrientes, anticorpos, células de defesa, além de proteína e gordura. “O colostro cria a imunidade passiva do bezerro através do fornecimento de anticorpos. Esse processo irá garantir a proteção inicial do animal até que ele passe a ter imunidade ativa, o que ocorre após cerca de um mês de vida”, explica o Gerente de Marketing da Ceva Saúde Animal, Rudsen Pimenta.

Além de ser uma necessidade fisiológica da vaca leiteira, o período seco é responsável por garantir a qualidade do colostro e a saúde do bezerro. O procedimento ocorre cerca de 60 dias antes da data prevista de parição e garante um importante período de descanso para os animais. “Segundo uma série de estudos publicados no Journal Of Dairy Science que mediram a qualidade do colostro em rebanhos que utilizaram períodos secos curtos de 40 dias, é importante ressaltar que a duração do período de secagem tem pouca influência na qualidade do colostro”, comenta Pimenta.

 “A secagem auxilia na garantia do bem-estar da vaca leiteira no final da gestação, período em que o desenvolvimento do feto é acentuado. Além disso, quando realizada corretamente, a secagem maximiza a produção na lactação seguinte, pois estimula a recuperação da glândula mamária através da renovação celular, possibilitando que a vaca expresse em termos de produção de leite todo o seu potencial genético”, afirma Pimenta.

Sempre em busca de soluções que facilitem o dia a dia dos produtores e proporcionem bem-estar para os animais, a Ceva Saúde Animal desenvolveu o Velactis, o primeiro e único facilitador de secagem do mundo, que garante para uma série de vantagens para vacas durante o processo de secagem, como aumento do período de descanso e diminuição da dor pós secagem e melhor saúde do úbere, prevenindo contaminação do úbere no momento da secagem e novos casos de mastites no pós-parto.

Ao ser aplicado logo após a última ordenha, Velactis inibe a liberação do hormônio prolactina, o que causa rápida diminuição na produção de leite e facilita todo o manejo e processo de secagem. “O produto age no cérebro da vaca, alterando a secreção hormonal. É como se a vaca recebesse a mensagem que não será mais ordenhada, e com isso sua produção diminuísse”, explica Pimenta.

O produto também auxilia na diminuição dos casos de infecções intramamárias, as temidas mastites, pois reduz o vazamento de leite. “Durante a secagem sem Velactis, a prolactina continua sendo produzida por algum tempo e o leite se acumula no úbere, provocando aumento da pressão e vazamento do líquido. É nesse momento que existe grande chance de infecções”, comenta Pimenta.

Além de trazer benefícios em todos as fases produtivas, atuando na produção, secagem e na lactação seguinte, Velactis também gera lucro para os produtores. “Com o uso do Velactis na secagem, o produtor lucra R$ 3 para cada R$ 1 investido no produto”, finaliza Pimenta.

Sobre a Ceva Saúde Animal

A Ceva Saúde Animal é uma das cinco maiores empresas de saúde animal do mundo, presente em mais de 110 países tem sua atuação focada na pesquisa, desenvolvimento, produção e comercialização de produtos farmacêuticos e biológicos para animais de companhia, e produção (bovinos, suínos e aves). Mais informações disponíveis no site: www.ceva.com.br

 
Gisele Assis



Publicidade