Tecnologia e Manejo

26/12

Alertas de Mercado: Boi, Couro, Frango, Milho e Soja

Alertas de Mercado: Boi, Couro, Frango, Milho e Soja

 

Boi

 

Mercado do boi gordo andando de lado na última sexta-feira (22/12), sem forças para altas expressivas.

 

Os frigoríficos já estão com as programações e estoques feitos para a demanda de final de ano e, diante disso, não há necessidade de intensificar a procura por matéria-prima.

 

Por outro lado, a diminuição do número de pecuaristas negociando também é outro fator que contribui com o marasmo no mercado.

 

Em lugares como a região de Três Lagoas-MS, Goiânia-GO, e o Norte de Minas Gerais a redução do ímpeto da indústria em comprar está maior do que o volume de boiadas ofertadas e os preços cederam.

 

Em alguns estados do Norte, o que acontece é o inverso. A oferta mais restrita possibilita valorizações.

 

Vale destacar que em algumas regiões de São Paulo há frigoríficos, aqueles que ainda não preencheram as escalas de abate, ofertando preços acima da referência.

 

Couro

 

Esta “calmaria” no volume de negócios no mercado de couro já era esperada devido à época do ano, quando sazonalmente o mercado perde o ritmo, devido ao período de festas de fim de ano.

 

Com isso, os preços ficaram estáveis na última semana, tanto no Brasil Central quanto no Rio Grande do Sul.

 

Segundo levantamento da Scot Consultoria, no Brasil Central, o couro verde está cotado, em média, em R$1,60/kg, considerando o produto de primeira linha. Já no Rio Grande do Sul, o couro verde comum está cotado, em média, em R$1,65/kg.

 

A perspectiva é de que até o fechamento do ano o mercado siga com baixa movimentação e com preços andando de lado.

 

Frango 

 

Em São Paulo, os preços na granja permaneceram estáveis na última semana, com a ave terminada cotada em R$2,70/kg.

 

No atacado, as vendas ganharam ritmo com a melhora nas vendas em função das festividades de final de ano. As antecipações devido a logística também colaboraram para o cenário.

 

A carcaça teve alta de 4,4% nos últimos sete dias, estando negociada, em média, em R$3,55/kg.

 

Neste elo da cadeia aumentos pontuais podem acontecer nos próximos dias, em função de uma demanda maior.

 

Milho 

 

Os preços do milho apresentaram comportamentos distintos entre as regiões acompanhadas pelo Cepea. No mercado paulista, os valores subiram, devido à maior presença compradora, que vem adquirindo lotes pequenos para atender à demanda de curto prazo.

 

Já na maior parte das praças do Sul e do Centro-Oeste, as cotações caíram, visto que indústrias já estão em recesso. Na região de Campinas (SP), o Indicador ESALQ/BM&FBovespa avançou 2,78% entre 15 e 22 de dezembro, fechando a R$ 33,26/saca de 60 kg.

 

Soja 

 

A desvalorização do dólar frente ao Real, que reduz o recebimento do produtor brasileiro, e o clima mais favorável na América do Sul têm pressionado os valores da soja. Por outro lado, a retração de vendedores e a maior demanda externa limitam os recuos internos.

 

Entre 15 e 22 de dezembro, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa Paranaguá caiu 1,69%, indo a R$ 73,26/saca de 60 kg no dia 22 de dezembro. Referente ao Indicador CEPEA/ESALQ Paraná, a baixa foi de 2,48% no mesmo comparativo, com fechamento a R$ 68,61/sc de 60 kg na sexta-feira. 

 

Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br e Scot Consultoria 



Publicidade