Tecnologia e Manejo

12/09

Alertas de Mercado: Boi, Citros, Leite, Milho, Soja e Trigo

Alertas de Mercado: Boi, Citros, Leite, Milho, Soja e Trigo

 

Boi

 

O volume de negócios foi muito pequeno na última sexta-feira pós-feriado (08.09). Alguns frigoríficos, inclusive, estavam fora das compras e se dedicaram a analisar o mercado para a definição do posicionamento comercial.

 

De qualquer forma, o mercado está sustentado e novos reajustes nas referências ocorreram. Na média, oferta restrita e escalas de abate curtas ainda são uma realidade, por mais que algumas empresas tenham tido um avanço na programação nos últimos dias.

 

No mercado atacadista de carne bovina com osso em São Paulo, preços estáveis. A carcaça de bovinos castrados ficou cotada em R$9,78/kg.

 

Citros

 

Apesar da elevada oferta de laranja pera no mercado in natura de São Paulo, o período de início de mês tem favorecido as vendas, ainda que pontualmente.

 

A expectativa de colaboradores do Cepea é de que a demanda doméstica por laranja aumente em setembro, devido ao clima mais quente. Entre 4 e 8 de setembro, a laranja pera registrou média de R$ 16,65/cx de 40,8 kg, na árvore, aumento de 2,5% em relação ao período anterior. Quanto à lima ácida tahiti, o baixo volume da fruta pronta para a colheita tem sustentado os preços em bons patamares no mercado de mesa.

 

Além disso, o período de início de mês e o clima mais firme elevaram a demanda interna e, consequentemente, as cotações da fruta na roça. De 4 a 8 de setembro, o preço médio da tahiti paulista foi de R$ 43,30/cx de 27 kg, colhida, avanço de 33% em relação ao da semana anterior.

 

Leite

 

Os preços do leite UHT e do queijo muçarela negociados no atacado do estado de São Paulo registraram novas quedas na última semana.

 

Segundo colaboradores do Cepea, apesar da posição firme de vendedores quanto aos preços pedidos (na expectativa de maior consumo nesta semana, devido ao pagamento dos salários), a demanda seguiu baixa e o feriado de 7 de setembro na quinta-feira reduziu a liquidez no mercado. Entre 4 e 8 de setembro, o preço do leite UHT teve média de R$ 2,12/litro, recuo de 1,4% frente à média do período anterior.

 

Quanto ao queijo muçarela, a média foi de R$ 14,39/kg, desvalorização de 0,5% na mesma comparação.

 

Milho

 

A necessidade de aquisição imediata por parte de compradores de milho, devido aos baixos estoques, aliada à retração vendedora, impulsionou as cotações do cereal no mercado interno. Com dificuldade de encontrar grandes volumes disponíveis para comercialização, agentes tiveram de elevar o valor de suas ofertas para adquirir lotes.

 

Do lado vendedor, agricultores esperam por preços mais elevados para negociar o restante da safra, fundamentados, principalmente, na grande redução da área de milho verão. Na sexta-feira, 8, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (Campinas/SP) fechou a R$ 28,13/sc de 60 kg, alta de 2,9% frente à sexta anterior. 

 

Soja

 

Após fortes desvalorizações em agosto, as cotações da soja em grão reagiram neste início de setembro, impulsionadas pelo aumento da liquidez no mercado doméstico e pela firme demanda externa.

 

Com o objetivo de fazer caixa para pagamento das dívidas de custeio de milho segunda safra ou mesmo de insumos da safra de verão 2017/18, produtores estiveram mais dispostos a negociar nos últimos dias.

 

O Indicador da soja ESALQ/BM&FBovespa Paranaguá registrou alta de 1,25% entre 1 e 8 de setembro, para R$ 70,31/saca de 60 kg no dia 8. O Indicador CEPEA/ESALQ Paraná subiu 0,7% no mesmo comparativo, com média de R$ 64,76/sc na sexta-feira. 

 

Trigo 

 

Apesar do início da colheita nas principais regiões produtoras acompanhadas pelo Cepea, as importações de trigo aumentaram em agosto, somando 656,011 mil toneladas e atingindo o maior volume importado desde janeiro deste ano – essa quantidade também foi 29,8% superior à adquirida em julho/17 e 13,8% maior que a de agosto/16.

 

Segundo pesquisadores do Cepea, esse cenário esteve atrelado à maior competitividade do produto importado frente ao nacional – o valor médio das importações em agosto foi de R$ 625,73/t FOB, contra R$ 666,53/t no Paraná e R$ 652,41/t no Rio Grande do Sul.

 

Quanto aos derivados, as compras externas também aumentaram em agosto (15,7%), para 35,07 mil toneladas. As exportações, por outro lado, recuaram 27,3% no mesmo período, para 3,11 mil toneladas. 

 

Cepea – www.cepea.esalq.usp.br/ Scot Consultoria 



Publicidade