Tecnologia e Manejo

23/02

Alertas de Mercado: Arroz, Batata, Boi, Café, Melancia e Suínos

Alertas de Mercado: Arroz, Batata, Boi, Café, Melancia e Suínos

 

Arroz 

 

As cotações de arroz continuam em queda no mercado interno. Entre 14 e 21 de fevereiro, o Indicador ESALQ/SENAR-RS, 58% grãos inteiros, registrou queda de 2,2%, fechando a R$ 47,93/sc de 50 kg nessa terça-feira, 21.

 

Segundo pesquisadores do Cepea, indústrias seguem retraídas, trabalhando com estoque já adquirido e aguardando o avanço de colheita da safra 2016/17 – com crescimento estimado em 15,2% na produção do Rio Grande do Sul (5º levantamento de safra da Conab).

 

Do lado vendedor, orizicultores estão voltados às atividades de colheita. Mesmo assim, alguns negócios de arroz da nova safra foram efetivados no período.

 

Batata

 

O preço da batata padrão ágata especial subiu 10,76% na última semana, frente à anterior, a R$ 52,55/sc de 50 kg no atacado paulistano. Conforme pesquisadores do Cepea, essa alta se deve ao “mercado de chuva” no início do período nas regiões de Guarapuava (PR) e Água Doce (SC), o que reduziu o volume dos atacados e impulsionou os preços do tubérculo.

 

A alta nas cotações só não foi mais expressiva porque a oferta em algumas regiões, como o Sul de Minas, ainda é grande. Além disso, o Cerrado vem intensificando a safra.

 

Boi

 

Os preços da arroba e da carne bovina vêm caindo no mercado doméstico, refletindo a demanda enfraquecida. Por outro lado, conforme colaboradores do Cepea, a redução da capacidade de abate dos frigoríficos, que buscam equilibrar oferta e demanda, limita as desvalorizações. Entre 15 e 22 de fevereiro, o preço da carcaça casada bovina caiu 0,6%, com média de R$ 9,88/kg nessa quarta-feira, 22, no atacado da Grande São Paulo.

 

O Indicador ESALQ/BM&FBovespa do boi gordo (estado de São Paulo, à vista) fechou a R$ 144,56 nessa quarta, queda de 0,84% no mesmo período. Nesse cenário, pecuaristas seguem apreensivos, uma vez que o consumidor não tem sinalizado que vai absorver o volume de carne – em média, 80% da proteína brasileira é destinada ao mercado interno. 

 

Café 

 

O Comitê Executivo de Gestão (Gecex), ligado à Câmara de Comércio Exterior (Camex), autorizou, na quarta-feira, 15, as importações brasileiras de 1 milhão de sacas de 60 kg de café robusta entre fevereiro e maio.

 

A autorização das importações da variedade e a retração compradora no mercado interno têm pressionado as cotações do robusta, que caíram 5% nos últimos sete dias. Nessa terça-feira, 21, o Indicador CEPEA/ESALQ do robusta tipo 6, peneira 13 acima, fechou a R$ 431,62/saca de 60 kg (à vista e a retirar no Espírito Santo).

 

Conforme colaboradores do Cepea, produtores e agentes do setor têm realizado manifestações pedindo o cancelamento da autorização da Câmara. Apesar da aprovação, ainda há algumas pendências burocráticas para que o processo de liberação seja concluído.

 

Melancia 

 

A colheita de melancia da safrinha paulista começou nesta semana na região de Oscar Bressane. Até o momento, colaboradores do Hortifruti/Cepea indicam que a oferta é baixa, devendo aumentar gradativamente no decorrer das próximas semanas. As primeiras melancias colhidas vêm apresentando qualidade reduzida, já que o grande volume de chuvas entre dezembro e janeiro afetou o desenvolvimento das frutas.

 

Além disso, a incidência de virose foi observada nas lavouras. Segundo pesquisadores do Hortifruti/Cepea, a oferta nessa região tende a ser menor que a do mesmo período do ano passado, já que os resultados limitados da safra principal (no segundo semestre de 2016) levaram produtores locais a diminuir a área para a safrinha. A expectativa é que, após o recesso de Carnaval, as frutas apresentem melhor qualidade, facilitando a comercialização.

 

Suínos 

 

Os preços do suíno vivo e da carne estão em queda no mercado doméstico. Segundo pesquisadores do Cepea, com o repasse das altas do vivo para a carne na primeira quinzena do mês, o consumidor deixou de absorver o volume disponível, pressionando as cotações em todos os elos da cadeia. Entre 15 e 22 de fevereiro, o preço do suíno vivo caiu 4,4% na região SP-5 (Bragança Paulista, Campinas, Piracicaba, São Paulo e Sorocaba), a R$ 5,03/kg nessa quarta-feira, 22. No atacado, a carcaça especial suína se desvalorizou 3,1% na Grande São Paulo, com média de R$ 7,75/kg nessa quarta. 

 

Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br



Publicidade