Tecnologia e Manejo

20/04

Alertas de Mercado: Algodão, Arroz, Boi, Café, Frango e Suínos

Alertas de Mercado: Algodão, Arroz, Boi, Café, Frango e Suínos

 

Algodão 

 

A comercialização de algodão em pluma segue enfraquecida no mercado brasileiro. De modo geral, vendedores estão mais ativos que compradores. Segundo agentes consultados pelo Cepea, parte das empresas não tem necessidade de adquirir a pluma, afirmando estar abastecida com o produto contratado.

 

Além disso, muitos demandantes estão na expectativa de conseguirem preços menores que os atuais, fundamentados na proximidade da colheita da nova safra. Apenas algumas unidades compram pequenos volumes, mas ainda prevalece a “queda de braço” com vendedores na busca por valores mais baixos. De 11 a 18 de abril, o Indicador CEPEA/ESALQ com pagamento em 8 dias, referente à pluma 41-4 posta em São Paulo, caiu 0,7%, fechando a R$ 2,7409/lp nessa terça-feira, 18.

 

Arroz 

 

O preço do arroz em casca no Rio Grande do Sul tem registrado novas quedas ao longo de abril, mas menos intensas em relação às verificadas em março, refletindo a retração de parte dos orizicultores. Nessa terça-feira, 18, o Indicador ESALQ/SENAR-RS, 58% grãos inteiros, fechou a R$ 38,85/saca de 50 kg, leve baixa de 0,26% sobre a terça anterior e de 2,6% na parcial do mês – ante o forte recuo de 15,3% no acumulado de março.

 

Segundo pesquisadores do Cepea, alguns produtores não estão ativos no spot, já que estão concentrados nas colheitas, seja de arroz ou de soja. A alternância de dias de sol e chuva tem ocasionado lentidão às atividades, além de gerar preocupação quanto à qualidade dos grãos.

 

Apenas parte dos vendedores consultados pelo Cepea, com necessidade de “fazer caixa” para cumprir com gastos de lavouras, é que ofertaram alguns lotes. Do lado comprador, poucas indústrias mostram interesse em novas aquisições, com algumas trabalhando com estoques já formados. Além de atrapalhar a colheita, as chuvas ocorridas no início da semana anterior prejudicaram os carregamentos.

 

Boi 

 

A liquidez no mercado pecuário está um pouco maior frente à observada em semanas anteriores. Segundo pesquisadores do Cepea, representantes de frigoríficos estão mais interessados em adquirir novos lotes de boi gordo para abate, enquanto muitos vendedores estão retraídos.

 

Com isso, esses compradores precisam, em muitos casos, elevar os valores para conseguir realizar novos negócios. Entre 12 e 19 de abril, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (São Paulo, à vista) subiu 1,1%, fechando a R$ 137,99 nessa quarta-feira, 19 – no acumulado parcial de abril (até o dia 19), no entanto, o Indicador ainda registra baixa de 1,2%. No atacado da Grande SP, a carcaça casada bovina se valorizou 2% em sete dias, indo para R$ 10,19/kg –desde o final de fevereiro, esse corte não era negociado acima dos 10 reais.

 

Café 

 

Os preços internos do café robusta seguem em queda, refletindo a intensificação da colheita no Brasil. Conforme pesquisadores do Cepea, o ritmo de negociações da variedade está lento, com poucos agentes ativos. Nessa terça-feira, 18, o Indicador CEPEA/ESALQ do tipo 6, peneira 13 acima, a retirar no Espírito Santo, fechou a R$ 407,82/saca de 60 kg, recuo de 1,7% em relação à terça anterior, 11.

 

Para o arábica, a liquidez também segue baixa, com a disparidade entre vendedores e compradores restringindo maiores quantidades comercializadas. Além disso, a relativa estabilidade das cotações externas de arábica e do Real frente ao dólar também tem limitado as negociações. Entre 11 e 18 de abril, o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 bebida dura para melhor, posto na capital paulista, avançou 1,1%, fechando a R$ 479,24/saca de 60 kg na terça.

 

Frango 

 

Contrariando o movimento típico do período, os preços do coração de frango estão subindo em abril, refletindo principalmente a maior demanda. Segundo agentes consultados pelo Cepea, o grande número de feriados neste mês vem favorecendo o consumo desse produto em churrascos.

 

Por outro lado, o drumet, que também costuma ser mais consumido nesse tipo de evento, segue desvalorizado, a exemplo da maioria dos cortes acompanhados pelo Cepea. Na média parcial de abril (até o dia 19), o coração congelado foi comercializado a R$ 9,02/kg no atacado da Grande São Paulo, alta de 2,5% em relação a março. Já o drumet recuou 3,6%, com o quilo a R$ 6,55 na média mensal.

 

Suínos 

 

Apesar das recentes reações, os baixos patamares de preços da carne suína têm elevado a competitividade dessa proteína frente à bovina, no atacado da Grande São Paulo. Segundo levantamentos do Cepea, na parcial de abril (até o dia 19), a média da carcaça especial suína está em R$ 6,39/kg, 8% inferior à de março/17.

 

Para a carcaça casada bovina, os preços já ultrapassaram os R$ 10,00/kg nesta semana, com a média na parcial de abril em R$ 9,85/kg, elevação de 0,8% frente à do mês anterior.

 

Com isso, a diferença entre as cotações da carne suína e bovina está em 3,45 reais por quilo na parcial de abril, elevação de 22,5% em relação à observada em março, de 2,82 reais/kg. 

 

Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br



Publicidade