Tecnologia e Manejo

26/10

26/10 - Alertas de Mercado: Algodão, Arroz, Boi, Café e Suínos

26/10 - Alertas de Mercado: Algodão, Arroz, Boi, Café e Suínos

 

Algodão 

 

As cotações do algodão em pluma seguem firmes no mercado brasileiro, apesar das oscilações dos últimos dias, quando os preços foram ora pressionados por compradores ativos, ora impulsionados pela retração vendedora.

 

Mesmo assim, vários negócios para entrega rápida foram captados pelo Cepea, com boa parte envolvendo pequenos volumes e apresentando alguma característica, como cor, micronaire e fibra. Já os lotes de boa qualidade têm sido direcionados aos contratos. De 17 a 24 de outubro, o Indicador CEPEA/ESALQ, com pagamento em 8 dias, subiu 0,42%, fechando a R$ 2,3933/lp nessa terça-feira, 24. 

 

Arroz

 

As chuvas ocorridas no Rio Grande do Sul nos últimos dias prejudicaram o semeio da safra 2017/18 e o carregamento de alguns lotes de arroz em casca, visto que algumas áreas foram alagadas.

 

Com isso, segundo colaboradores do Cepea, grande parte dos orizicultores se retraiu das vendas. Já indústrias estiveram ativas, ofertando valores maiores para efetivar novas aquisições de casca e repor estoques, devido ao aumento da demanda dos setores atacadista e varejista dos grandes centros consumidores nos últimos dias.

 

Assim, o Indicador ESALQ/SENAR-RS, 58% grãos inteiros, permaneceu praticamente estável (-0,2%) entre 17 e 24 de outubro, fechando a R$ 36,46/sc de 50 kg nessa terça-feira, 24. 

 

Boi

 

Valores bastante dispersos têm sido reportados por colaboradores do Cepea, refletindo a urgência de algumas negociações e as características diferentes dos lotes comercializados.

 

Nesse cenário, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa do boi gordo recuou 2,2% entre 18 e 25 de outubro, a R$ 137,90 nessa quarta-feira, 25. No mercado atacadista da carne com osso, a carcaça casada do boi se desvalorizou 0,52% no período, a R$ 9,49/kg nessa quarta. 

 

Café

 

Os preços do robusta estão em queda no mercado interno. Na parcial de outubro (até o dia 24), a média do Indicador CEPEA/ESALQ do robusta tipo 6 peneira 13, foi de R$ 385,11/saca de 60 kg, patamar observado em março de 2016, em termos reais. Nessa terça-feira, 24, o Indicador fechou a R$ 372,86/sc de 60 kg, queda de 1,35% em relação à terça anterior, 17. Segundo pesquisadores do Cepea, os preços da variedade têm sido pressionados pelas baixas nas cotações externas e pela menor demanda doméstica.

 

Além disso, as indústrias brasileiras de torrefação estão com estoques mais confortáveis, mantendo-se afastadas do mercado. No mercado de arábica, as negociações seguem em ritmo lento, devido ao recuo de agentes, que estão à espera das chuvas.

 

Nessa terça-feira, 24, o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 bebida dura para melhor, posto na capital paulista, fechou a R$ 443,15/saca de 60 kg, ligeira elevação de 0,6% em relação à terça anterior, 17. 

 

Suínos 

 

Os valores do suíno vivo caíram na maioria das praças acompanhadas pelo Cepea no acumulado de outubro (até o dia 25). Segundo colaboradores do Cepea, a oferta maior que a demanda tem pressionado levemente as cotações semana a semana.

 

Nessa quarta-feira, 25, a média do vivo na região SP-5 (Bragança Paulista, Campinas, Piracicaba, São Paulo e Sorocaba) foi de R$ 4,06/kg, queda de 2,7% no período. Já os preços dos cortes suínos subiram no acumulado do mês, principalmente daqueles considerados “natalinos”, como lombo e pernil.

 

A proximidade do final do ano leva agentes a aumentar a demanda por esses produtos para estoque. No estado de São Paulo, o pernil desossado se valorizou 1,7% em outubro, a R$ 7,08/kg nessa quarta-feira. O lombo, por sua vez, fechou a R$ 10,00/kg no dia 25, alta de 2,4%. 

 

Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br 



Publicidade