Tecnologia e Manejo

21/07

21/07 Alertas de Mercado: Boi, Citros, Frango, Ovos e Suínos

21/07 Alertas de Mercado: Boi, Citros, Frango, Ovos e Suínos

 

Boi 

 

O Indicador ESALQ/BM&FBovespa do boi gordo (estado de São Paulo) tem oscilado, refletindo a entrada e saída de agentes do mercado, conforme a urgência em negociar. Conforme pesquisadores do Cepea, a diferença entre os valores reportados segue expressiva, em linha com as características específicas dos lotes comercializados e com os operadores envolvidos nas efetivações.

 

Em termos gerais, os valores têm recuado, visto que muitas escalas de abate continuam alongadas. Apesar da pressão sobe as cotações, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa subiu ligeiro 0,4% entre 12 e 19 de julho, para R$ 124,70 nessa quarta-feira, 19 – valores à vista com desconto da taxa CDI e livres de Funrural. 

 

Citros

 

A colheita da tangor murcote, que começou no fim de maio, está ganhando ritmo no estado de São Paulo. Apesar da boa qualidade das frutas, colaboradores do Cepea afirmam que as vendas estão abaixo das expectativas, devido ao clima mais frio no Sudeste e à concorrência com a tangerina poncã (que tem preços mais baixos).

 

Nos próximos dias, porém, produtores esperam que as vendas da murcote se intensifiquem – conforme a safra de poncã chega ao fim. A elevação da oferta reduziu os preços da fruta nos últimos dias, mas os patamares ainda são considerados bons. Na parcial desta semana (de segunda a quinta-feira), a variedade teve média de R$ 30,69/cx de 40,8 kg, na árvore, queda de 6,2% em relação à da semana anterior.

 

Frango 

 

Os embarques de carne de frango estão aquecidos, mas não a ponto de influenciar as cotações no mercado interno, que segue relativamente estável. No atacado brasileiro, os preços do frango inteiro congelado se mantiveram a R$ 3,61/kg em Toledo (PR) e a R$ 4,49/kg em Porto Alegre (RS) na última semana.

 

Os valores do resfriado permanecem a R$ 4,63/kg na região gaúcha e a R$ 3,80/kg na paranaense no mesmo período. No atacado da Grande São Paulo, no entanto, os valores caíram. O recuo foi de 1,5% para o produto resfriado e de 7,3% para o congelado, com as respectivas médias a R$ 3,45/kg e a R$ 3,42/kg nessa quinta-feira, 20.

 

Quanto aos embarques, na parcial de julho (10 dias úteis), a média diária foi de 17,5 mil toneladas, 6,8% maior que a de junho e 14,2% superior à de julho de 2016 (Secex).

 

Ovos 

 

As cotações de ovos estão estáveis há quatro semanas, apesar do período de férias escolares, quando a demanda pelo produto costuma ser menor. Conforme pesquisadores do Cepea, as baixas temperaturas diminuem a produtividade das poedeiras, o que acaba controlando a oferta e sustentando os valores.

 

Nessa quinta-feira, 20, a caixa com 30 dúzias do ovo tipo extra, branco, posto na Grande São Paulo, teve média de R$ 95,88, alta de apenas 0,1% nos últimos sete dias. Para retirada em Bastos (SP), por outro lado, a média do produto registrou pequena queda de 0,17% no período, para R$ 89,73/cx nessa quinta.

 

Quanto aos ovos vermelhos, a caixa com 30 dúzias do tipo extra, posto na Grande São Paulo, fechou a R$ 111,1, em média, nessa quinta-feira, elevação de 0,5% na semana. Para retirada em Bastos, o aumento foi de 0,6%, a R$ 105,66/cx no dia 20.

 

Suínos 

 

Após consecutivas quedas no mercado suinícola, as cotações do animal vivo têm subido com força. Na região SP-5 (Bragança Paulista, Campinas, Piracicaba, São Paulo e Sorocaba), o aumento foi de 10,4% entre 12 e 19 de julho, com o preço pago ao produtor passando para a média de R$ 3,85/kg nessa quarta-feira, 19.

 

Segundo pesquisadores do Cepea, com a retomada do bom ritmo das exportações, a oferta de animais de contrato no mercado independente não está elevada. Além disso, a disponibilidade de suíno vivo por parte dos produtores paulistas também está restrita. Os preços da carne também subiram nos últimos dias, impulsionados pelas altas do vivo.

 

No atacado da Grande São Paulo, a carcaça especial se valorizou 3,4% em sete dias, com o quilo passando para R$ 5,83 nessa quarta-feira, 19. O preço da carcaça comum registrou alta de 9% entre 12 e 19 de julho, para R$ 5,63/kg nessa quarta. 

 

Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br



Publicidade