Tecnologia e Manejo

15/08

15/08 Alertas de Mercado: Açúcar, Boi, Milho, Soja e Trigo

15/08 Alertas de Mercado: Açúcar, Boi, Milho, Soja e Trigo

 

Açúcar 

 

As cotações do açúcar cristal continua em queda no mercado spot paulista, refletindo a ampla oferta de produto disponível para comercialização e o recuo das cotações externas do açúcar demerara.

 

Conforme pesquisadores do Cepea, os preços do demerara na Bolsa de Nova York (ICE Futures) voltaram para a casa dos 13 centavos de dólar por libra-peso na semana passada, pressionados pela maior produção de açúcar no Centro-Sul do Brasil e pela valorização da moeda norte-americana frente ao Real, que tende a estimular as exportações brasileiras de açúcar.

 

De 7 a 14 de agosto, o Indicador CEPEA/ESALQ do açúcar cristal, cor Icumsa entre 130 e 180 (estado de São Paulo), registrou queda de 5%, fechando a R$ 54,30/saca de 50 kg nessa segunda-feira, 14. No acumulado do mês, a baixa já é de 7,14%.

 

Boi 

 

A semana começou com preços firmes para o mercado do boi gordo. Das trinta e duas praças pesquisadas na Scot Consultoria, houve alta em nove na última segunda-feira (14/8).

 

O baixo volume de animais terminados, com consequente encurtamento das escalas, é o principal fator que colabora para os pagamentos maiores.

 

Além disso, a alta dos últimos dias colaborou para que o pecuarista que ainda tem boiadas terminadas aguarde para negociar.

 

Em São Paulo, a referência para o macho terminado subiu e ficou cotada em R$131,00/@ à vista, livre de Funrural, alta de 4,8% nos últimos sete dias.

 

No estado, as escalas de abate giram em torno de quatro dias, tendo algumas indústrias com escalas mais apertadas.

 

No mercado atacadista de carne com osso, o boi casado de animais castrados ficou cotado em R$9,05/kg.

 

Milho 

 

A dificuldade em receber milho da região Centro-Oeste, principalmente de Mato Grosso, devido ao bloqueio das estradas por caminhoneiros, favoreceu a comercialização do milho paulista e paranaense nos últimos dias. S

 

egundo pesquisadores do Cepea, o aumento dos fretes associado à retração de produtores de SP, que seguem negociando poucos volumes em cooperativas e cerealistas, levaram compradores a aumentar o valor de suas ofertas, impulsionando as cotações do cereal. Em Campinas (SP), o Indicador ESALQ/BM&FBovespa subiu 2,21% entre 4 e 11 de agosto, fechando a R$ 26,33/saca de 60 quilos no dia 11.

 

Soja 

 

Os preços da soja estão em alta no mercado brasileiro. Segundo pesquisadores do Cepea, as valorizações estão atreladas à maior demanda para entrega imediata e à valorização do dólar frente ao Real.

 

Os aumentos, no entanto, têm sido limitados, refletindo o maior volume de chuvas nos Estados Unidos e as novas estimativas do USDA para a produção norte-americana, que estão mais altas que as de julho, frustrando as expectativas do mercado. Entre 4 e 11 de agosto, o Indicador da soja ESALQ/BM&FBovespa Paranaguá subiu 2,41%, para R$ 70,63/sc de 60 kg no dia 11.

 

O Indicador CEPEA/ESALQ Paraná aumentou 1,58% no mesmo período, fechando a R$ 64,19/sc de 60 kg na sexta-feira. 

 

Trigo 

 

Mesmo com a proximidade da colheita de trigo no Brasil, os preços do cereal atingiram os maiores patamares de 2017, em termos reais, em algumas praças pesquisadas pelo Cepea. Esse cenário se deve principalmente às projeções de área ainda menores no País e à ausência de vendedores no mercado.

 

Dados da Conab divulgados no último dia 10 apontam que a área alocada ao trigo neste ano deve ser de 1,83 milhão de hectares, 4,9% abaixo do estimado em julho e 13,6% menor que o cultivado no ano anterior. Esses reajustes, por sua vez, estão atrelados às reduções de área no Paraná e no Rio Grande do Sul, de 20,4% e 7,2%, respectivamente, frente à temporada anterior. 

 

Cepea – www.cepea.esalq.usp.br / Scot Consultoria 



Publicidade