Tecnologia e Manejo

07/12

07/12 Alertas de Mercado: Algodão, Arroz, Boi, Café e Suínos

07/12 Alertas de Mercado: Algodão, Arroz, Boi, Café e Suínos

 

Algodão

 

De acordo com pesquisadores do Cepea, a maior presença compradora e a posição firme de vendedores no mercado doméstico da pluma têm mantido os preços em alta. Além disso, a elevação da paridade de exportação, devido ao aumento no preço internacional e à valorização do dólar frente ao Real, também influencia o aumento dos preços no Brasil, já que leva vendedores a ficarem atentos ao mercado externo.

 

De 28 de novembro a 5 de dezembro, o Indicador CEPEA/ESALQ, com pagamento em 8 dias, subiu 1,7%, fechando a R$ 2,4698/lp nessa terça-feira, 5 – essa alta é um pouco mais do que a verificada para o mês de novembro inteiro, que foi de 1,62%.

 

Arroz

 

O clima satisfatório dos últimos dias, que levou boa parte dos orizicultores a avançar com o semeio da safra 2017/18, reduzindo a disponibilidade de lotes, e a boa demanda elevaram os preços do casca no Rio Grande do Sul – apenas produtores com necessidade de “fazer caixa” disponibilizaram o produto no mercado spot.

 

O Indicador ESALQ/SENAR-RS, 58% grãos inteiros, subiu 0,24% de 28 de novembro a 5 de dezembro, fechando a R$ 37,41/saca de 50 kg nessa terça-feira. Em novembro a elevação foi de 1,25%.

 

Café

 

A liquidez no mercado de café arábica, que havia aumentado no final de novembro, voltou a se reduzir no início deste mês, segundo pesquisadores do Cepea.

 

O motivo para o ritmo enfraquecido de negociações é a típica retração de agentes no final do ano, que aguardam o início do novo ano para retomar a comercialização.

 

Neste cenário, entre 28 de novembro e 5 de dezembro, o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 bebida dura para melhor, posto na capital paulista, recuou 0,57%, fechando a R$ 455,35/saca de 60 kg nessa terça-feira, 5.

 

Quanto ao robusta, a liquidez também segue baixa. O Indicador CEPEA/ESALQ do tipo 6, fechou a R$ 375,80/sc de 60 kg nessa terça, praticamente estável (+0,08%) frente ao dia 28.

 

Boi

 

O Indicador ESALQ/BM&FBovespa do bezerro, referente a Mato Grosso do Sul, tem registrado recuperação. Em 2017, a maior média mensal do Indicador, de R$ 1.236,19, foi verificada em janeiro.

 

De fevereiro em diante, os preços do animal praticamente só caíram, registrando o menor patamar do ano em agosto, de R$ 1.090,13. Neste início de dezembro, a média está em R$ 1.189,7 e, especificamente nessa quarta-feira, 6, fechou em R$ 1.172,09 – todas as médias estão em termos nominais.

 

Agentes consultados pelo Cepea afirmam que o retorno das chuvas melhorou a condição das pastagens na maioria das regiões nas últimas semanas, o que influenciou na recuperação dos preços do bezerro.

 

Suínos 

 

Neste início de dezembro, em algumas regiões acompanhadas pelo Cepea, a oferta de suíno vivo está maior que a demanda, o que tem pressionado os valores.

 

Esse cenário tem sido observado mesmo com a expectativa da possível intensificação de compras de animais por alguns frigoríficos e da maior demanda por parte do consumidor final.

 

Segundo dados do Cepea, na região SP-5 (Bragança Paulista, Campinas, Piracicaba, São Paulo e Sorocaba), a queda no preço foi de 2,1% entre 29 de novembro e 6 de dezembro, com o suíno negociado a R$ 4,04/kg na quarta-feira, 6.

 

Em Santa Rosa (RS), o valor caiu 2,2%, indo a R$ 3,61/kg. 

 

Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br



Publicidade