Tecnologia e Manejo

07/01

07/01 Alertas de Mercado: Boi Gordo, Citros, Milho, Soja e Trigo

07/01 Alertas de Mercado: Boi Gordo, Citros, Milho, Soja e Trigo

 

Boi Gordo

 

O mercado do boi gordo começou a semana com preços estáveis em São Paulo.

 

Segundo levantamento da Scot Consultoria, no estado, a arroba ficou cotada em R$200,00, à vista e livre de Funrural na última segunda-feira (6/1).

 

Com ritmo ainda baixo de negócios, e com os pecuaristas aos poucos retornando à ativa, o cenário ainda é de calmaria, com as indústrias traçando estratégias para os próximos dias.

 

A expectativa é que gradativamente o mercado recupere a normalidade.

 

Citros

 

Agentes consultados pelo Cepea têm expectativa de baixa produção de laranjas na safra 2020/21 de São Paulo e do Triângulo Mineiro.

 

Segundo pesquisadores do Centro, ainda que a menor produtividade limite a receita de produtores, a colheita reduzida tende a manter firmes os valores pagos pela fruta na indústria, mesmo em um cenário de recuperação dos estoques de passagem, em junho de 2020.

 

Quanto à lima ácida tahiti, as perspectivas para os primeiros meses do ano indicam que os volumes da fruta devem ser elevados em São Paulo, devido ao pico de safra.

 

Contudo, a colheita antecipada de tahiti miúda, em novembro/19, pode limitar o volume ofertado e evitar quedas expressivas nas cotações. 

 

Milho 

 

A safra 2019/20 deve começar com disponibilidade restrita de milho, num cenário de consumo doméstico crescente.

 

A nova safra de verão deve ficar em linha com a registrada em 2019, o que não deve alterar de forma expressiva a disponibilidade interna no primeiro semestre. Assim, segundo pesquisadores do Cepea, há fatores de sustentação de preços no curto prazo, o que tende a estimular o semeio da cultura na segunda safra e, consequentemente, a elevar a oferta no segundo semestre.

 

O forte movimento de alta nos preços domésticos no último trimestre de 2019 estimulou produtores a aumentarem a área semeada com milho primeira safra. Informações da Equipe de Custos do Cepea apontam que houve melhora nas relações de troca entre produtos e insumos nas principais regiões acompanhadas. 

 

Soja 

 

A produção brasileira de soja deve atingir novo recorde na safra 2019/20, cenário que deve exigir do Brasil maiores demandas interna e, especialmente, externa.

 

De acordo com informações do Cepea, depois do atraso no início do semeio, o ritmo das atividades se acelerou em outubro.

 

Em seguida, com o retorno das chuvas em maior intensidade, o desenvolvimento das lavouras foi favorecido, gerando expectativas de elevada produtividade – exceto no caso das áreas cultivadas primeiramente.

 

Assim, a Conab aponta que o Brasil deve produzir o recorde de 120,86 milhões de toneladas de soja. 

 

Trigo 

 

A sinalização de preços maiores no Brasil e o possível atraso na janela ideal para semeio de milho segunda safra nos estados do Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul podem atrair produtores consultados pelo Cepea para o cultivo de trigo em 2020.

 

No Rio Grande do Sul, onde há percentual expressivo das áreas que acabam recebendo apenas culturas de coberturas de solo, também poderá haver maior cultivo de trigo.

 

Se isso acontecer, a oferta doméstica do cereal pode ser maior no último quadrimestre do ano, o que tende a impactar sobre as cotações em todo o segundo semestre deste ano.

 

Quanto aos derivados, boa parte de moinhos se mostra abastecida para o primeiro trimestre de 2020. Agentes consultados pelo Cepea apontam que deverá haver elevação nos preços da farinha e do farelo no início do ano, uma vez que os valores do trigo em grão subiram.

 

No caso do farelo, as valorizações do milho também tendem a sustentar as cotações do derivado. 

 

Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br  e Scot Consultoria 



Publicidade