Tecnologia e Manejo

07/02

Previsões e Estimativas das Safras Agrícolas do Estado de São Paulo, 2° Levantamento, Ano Agrícola 2018/19 e Levantamento Final, Ano Agrícola 2017/18, Novembro de 2018

Previsões e Estimativas das Safras Agrícolas do Estado de São Paulo, 2° Levantamento, Ano Agrícola 2018/19 e Levantamento Final, Ano Agrícola 2017/18, Novembro de 2018

 

1 – INTRODUÇÃO

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Instituto de Economia Agrícola (IEA) e da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), realizou entre 1 e 20 de novembro de 2018, para o Estado de São Paulo, os levantamentos das previsões de área e produção de culturas, referentes à safra agrícola 2018/19, e das estimativas finais da safra 2017/18 para cana para indústria, laranja e demais produtos agrícolas de maior expressão econômica.

São apresentados também os indicadores da agricultura paulista do ano agrícola 2017/18, em relação à safra agrícola 2016/17, que medem o comportamento da produção, da área e da produtividade da terra.

Os resultados foram obtidos aplicando o método subjetivo2, que consiste da coleta e sistematização dos dados fornecidos pelos técnicos das Casas de Agricultura, em cada um dos 645 municípios do Estado de São Paulo.

 

2 – ACOMPANHAMENTO DA SAFRA AGRÍCOLA 2018/19

No levantamento de novembro de 2018, foram realizadas as previsões de área e de produção para a safra paulista 2018/19 de grãos (primeira safra ou safra de verão) de algodão, amendoim das águas, arroz, feijão das águas, milho, soja e sorgo granífero das águas e para as culturas da batata das águas, banana, café, seringueira e uvas (Tabela 1).

Para a safra de verão de grãos 2018/19, os resultados parciais indicam estabilidade na produção (0,63%), com previsão de ultrapassar 7,02 milhões de toneladas, em 1.684,9 mil hectares plantados, acréscimo de 2,11%. Os inexpressivos ganhos de produção se devem ao comportamento da área, visto que, por conta das adversidades climáticas no início do ano agrícola, provocaram possíveis perdas na produtividade da terra de 1,43%, quando comparada com o mesmo período da safra 2017/18.

 

Tabela 1- Previsões e Estimativas das Safras Agrícolas do Estado de São Paulo, Ano Agrícola 2018/19, 2º Levantamento, Novembro de 20181

Produto

Área (1.000 ha)              

 

Produção (1.000 t)              

 

Produtividade (kg/ha)              

Final
2017/18

2º lev.

nov./2018
2018/19

Var. %

 

Final
2017/18

2º lev.

nov./2018
2018/19

Var. %

 

Final
2017/18

2º lev.

nov./2018
2018/19

Var. %

 

Algodão

8,8

15,5

76,1

 

31,5

53,8

70,8

 

3.562

3.478

-2,4

Amendoim das águas

133,6

135,7

1,6

 

519,7

531,1

2,2

 

3.891

3.913

0,6

Arroz total

10,5

10,2

-2,9

 

60,7

59,7

-1,6

 

5.809

5.838

0,5

Arroz de sequeiro e várzea

2,1

1,8

-14,3

 

7,5

6,2

-17,3

 

3.638

3.485

-4,2

Arroz irrigado

8,4

8,4

0,0

 

53,2

53,5

0,6

 

6.346

6.335

-0,2

Banana²

58,1

58,7

1,0

 

1.069,6

1.111,2

3,9

 

20.111

20.379

1,3

Batata das águas

7,6

8,2

7,9

 

228,8

222,4

-2,8

 

30.170

27.054

-10,3

Café²

211,7

217,0

2,5

 

350,1

297,2

-15,1

 

1.745

1.449

-17,0

Feijão das águas

66,7

57,7

-13,5

 

173,7

152,6

-12,1

 

2.602

2.643

1,6

Milho total (1º safra)

421,9

415,9

-1,4

 

2.817,3

2.770,7

-1,7

 

6.679

6.663

-0,2

Milho (1º safra)

366,8

354,8

-3,3

 

2.295,7

2.211,5

-3,7

 

6.259

6.233

-0,4

Milho irrigado (1º safra)

55,1

61,1

10,9

 

521,6

559,2

7,2

 

9.474

9.158

-3,3

Seringueira²

131,2

132,7

1,1

 

222,8

238,4

7,0

 

2.452

2.497

1,8

Soja total (1º safra)

958,5

1.025,3

7,0

 

3.334,0

3.535,9

6,1

 

3.479

3.449

-0,9

Soja (1º safra)

897,8

951,9

6,0

 

3.096,9

3.236,4

4,5

 

3.450

3.400

-1,4

Soja irrigada (1º safra)

60,7

73,4

20,9

 

237,1

299,5

26,3

 

3.907

4.082

4,5

Uva para indústria²

0,1

0,1

0,0

 

1,5

1,8

20,0

 

24.340

27.584

13,3

Uva para mesa total2

6,2

6,9

11,3

 

244,1

266,4

9,1

 

39.844

38.998

-2,1

Uva comum para mesa²

4,1

4,8

17,1

 

178,4

201,1

12,7

 

44.496

42.445

-4,6

Uva fina para mesa²

2,1

2,1

0,0

 

65,7

65,3

-0,6

 

31.033

31.193

0,5

1Este levantamento foi efetuado de 1 a 20 de novembro de 2018.

2A área é o somatório da área nova e área em produção, e produtividade calculada a partir da área em produção.

Fonte: Instituto de Economia Agrícola e Coordenadoria de Assistência Técnica Integral.

 

2.1 – Algodão

O cultivo de algodão no estado, segundo levantamento de plantio da safra 2018/19, confirma o comportamento de crescimento em área de 76,1%, já apresentado no ano anterior, passando de 8,8 mil ha para 15,5 mil ha, sendo o Escritório de Desenvolvimento Rural (EDR) de Avaré responsável por 51,7% da área total plantada no Estado de São Paulo. Esse aumento de área, tanto em nível nacional quanto em nível estadual, deve-se à conjugação de fatores internos assim como externos, que atuaram positivamente no aumento de área. O câmbio e os preços praticados no mercado externo estão entre os fatores que agem como delimitadores desse crescimento no país e mais acentuadamente no estado, onde a cultura perdeu espaço. Há indícios de que se mantenham favoráveis na safra em curso. Neste levantamento, a intenção declarada na previsão de setembro se efetivou, superando as expectativas anteriores. As condições climáticas, porém, que são fundamentais para o desenvolvimento vegetativo, determinarão nos próximos meses os resultados para esse produto. O mercado interno, importante peça do sistema, ainda é uma incógnita, pois não se definiu o cenário para 2019 com a mudança de governo até o momento.

 

2.2 - Amendoim das Águas

As estimativas da safra 2018/19 para amendoim das águas, quando comparadas à safra anterior, apontam aumentos de 1,6% na área e de 2,2% na produção, resultado de ganhos de produtividade, notadamente nos EDRs de Tupã, Assis e Barretos. Os EDRs com maior participação na produção paulista são: Tupã (14,93%), Presidente Prudente (14,71%), Jaboticabal (12,85%), Marília (12,35%) e Assis (7,23%).

 

2.3 – Arroz

Os resultados do segundo levantamento para a safra 2018/19 para a cultura de arroz (sequeiro-várzea e irrigado) indicam uma menor produção, com volume total a ser colhido de 59,7 mil t. Essa produção, 1,6% menor que a verificada na safra 2017/18, deve ocupar uma área cultivada de 10,2 mil ha, 2,9% inferior. Os EDRs de Guaratinguetá e Pindamonhangaba são as principais regiões produtoras no estado com a produção de arroz irrigado. A cultura em São Paulo ocupa a 44ª posição no valor da produção preliminar de 2018, divulgado pelo IEA3, e verifica-se que o interesse na cultura pelos agricultores paulistas vem decrescendo ao longo dos anos. No início dos anos 2000, a área plantada era de 52,7 mil ha, prevendo-se para a safra 2018/19 uma área de arroz de 10,2 mil ha.

 

2.4 - Batata das Águas

A área plantada com batata das águas, conforme o segundo levantamento realizado em novembro de 2018, foi de 8,2 mil ha, 7,9 % maior que a área cultivada no ano passado (7,6 mil ha). Apesar disso, a produção foi 2,8% menor em relação ao mesmo período, ou seja, passou de 228,8 mil t para 222,4 mil t, apontando um decréscimo na produtividade de 10,3%, que diminuiu de 30.170 para 27.054 t/ha, por conta das condições climáticas adversas durante o desenvolvimento vegetativo do tubérculo. No Estado de São Paulo, as principais regiões produtoras são Itapetininga, Itapeva e Avaré, que juntas perfazem mais de 70% da produção paulista.

2.5 - Feijão das Águas

O segundo levantamento da safra 2018/19 para a cultura de feijão das águas aponta retração de 13,5% na área cultivada com 57,7 mil ha, resultado que reflete a conjuntura de preços baixos recebidos pelos produtores durante toda safra passada (2017/18). Esse comportamento pode ter influenciado na decisão dos produtores pela escolha de outras culturas mais rentáveis, principalmente a de soja. Quanto à produção, a previsão é que sejam colhidas 152,6 mil t, 12,1% abaixo do volume produzido na safra anterior, apesar do ganho de 1,6% na produtividade da terra (2.643 kg/ha). 

O cultivo do feijão é realizado em três safras: águas (setembro a janeiro), seca (fevereiro a junho) e inverno (abril a setembro), sendo o das águas a principal das três safras no Estado de São Paulo. Concentra cerca de 90% do plantio nas regiões sul e sudoeste, formadas pelas regionais de Itapeva (44%), Avaré (33%) e Itapetininga (14%). Vale destacar que 65% da lavoura paulista (37,6 mil ha) foi realizada no sistema de plantio direto.

O próximo levantamento a ser realizado em fevereiro/2019 trará os resultados finais das safras das águas e as primeiras informações da safra da seca do ano agrícola 2018/19.



Publicidade