Tecnologia e Manejo

14/12

Pesquisadores avaliam a atividade pecuária no Polo Extremo Oeste

Pesquisadores avaliam a atividade pecuária no Polo Extremo Oeste

 

De acordo com o levantamento realizado pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA), instituição de pesquisa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, em 2016, o número total de bovinos no Estado de São Paulo era de 10.596.303 cabeças. Para o mesmo período, as estimativas para o Polo Regional de Desenvolvimento dos Agronegócios do Extremo Oeste, formado por 31 municípios situados na região de Andradina e Araçatuba, indicavam 840 mil bovinos no total, dos quais bovinos de corte representam 573 mil cabeças, os bovinos mistos 216 mil cabeças e os bovinos de leite 51 mil cabeças.

 

“Pelos números apresentados, percebe-se que a importância dos produtos de origem animal em uma região que outrora foi referência e sinônimo de pecuária de corte, inclusive cantada em prosa e verso”, ressaltam Eder Pinatti e Ricardo Firetti, pesquisadores do IEA e do Polo Regional Alta Sorocabana, respectivamente.

 

O valor da produção agropecuária (VPA) do Polo Extremo Oeste somou R$ 4,29 bilhões em 2016, o que representa 5,7% do VPA paulista que foi de R$ 75,44 bilhões. Os principais produtos agropecuários da região representam 87,7% do VPA, são eles: cana-de-açúcar, carne bovina, ovos, abacaxi e leite.

 

A carne bovina é a principal atividade animal do Polo Extremo Oeste, com VPA de R$ 822,45 milhões (19,2% do VPA total do Polo e 70,6% do VPA animal do Polo), este valor representa 8,4% do VPA da carne bovina do Estado. Os ovos somam R$ 198,72 milhões (4,6% do VPA total do Polo e 17,1% do VPA animal do Polo), o leite soma R$ 139,72 milhões (3,3% do VPA total do Polo e 12,0% do VPA animal do Polo). Os demais produtos somam R$ 4,05 milhões (0,09% do VPA total do Polo e 0,35% do VPA animal do Polo). Assim, pode-se notar a importância da produção animal, principalmente a bovinocultura, no Polo Regional Extremo Oeste.

 

Sobre os Polos:

 

A Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), instituição de pesquisa da Secretaria de Agricultura, é composta por seis institutos e um Departamento de Descentralização do Desenvolvimento (DDD), formado por 14 Polos Regionais que buscam realizar ações de pesquisa e inovação de acordo com as especificidades locais para promover o desenvolvimento regional.

 

Os Polos Regionais da Apta situam-se em pontos estratégicos, localizados em diversas regiões do Estado, com foco de atuação nos problemas das cadeias de produção locais. A área de abrangência do Polo Regional Extremo Oeste compreende os Escritórios de Desenvolvimento Rural (EDRs) de Andradina e de Araçatuba, dos quais fazem parte os seguintes municípios: Alto Alegre, Andradina, Araçatuba, Avanhandava, Barbosa, Bento de Abreu, Bilac, Birigui, Braúna, Brejo Alegre, Castilho, Clementina, Coroados, Gabriel Monteiro, Glicério, Guaraçaí, Guararapes, Ilha Solteira, Itapura, Lavínia, Luisiânia, Mirandópolis, Murutinga do Sul, Nova Independência, Penápolis, Pereira Barreto, Piacatu, Rubiácea, Santópolis do Aguapeí, Suzanópolis, Valparaíso.

 

Para ler o artigo na íntegra e consultar as tabelas, clique aqui.

 

Por: Nara Guimarães

 

 

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069



Publicidade