Tecnologia e Manejo

16/03

Importância da desrama e desbaste para sucesso do sistema ILPF

Importância da desrama e desbaste para sucesso do sistema ILPF

 

O manejo do componente florestal é fundamental para que se obtenha benefícios, como conforto térmico adequado para os animais, nos sistemas de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF). Esse foi o tema de oficina realizada na última semana na Dinapec, em Campo Grande (MS).

Vanderley Porfírio-da-Silva, pesquisador da Embrapa Florestas, explicou que não existem os benefícios da ILPF se não forem feitas desrama e desbaste, que nada mais são do que o manejo da árvore. Não haverá, por exemplo, o conforto térmico adequado para os animais, não serão produzidas toras de madeira em quantidade e, principalmente, qualidade necessárias. “É fundamental que isso seja feito na hora certa para que o sistema funcione corretamente”.

O pesquisador da Embrapa Gado de Corte, Roberto Giolo, complementou que o sombreamento da pastagem, ocasionado pela introdução do componente florestal, pode ser reduzido por meio de desramas e desbates de árvores. Além disso, lembrou a importância do planejamento do arranjo espacial e da orientação das fileiras de árvores para minimizar o efeito de sombreamento.

Outra vantagem da presença do componente arbóreo é a neutralização do metano entérico emitido pelo rebanho (principalmente por arroto), que tem feito com que a pecuária seja apontada como uma das principais responsáveis pelo aumento do efeito estufa, que tem o metano como um dos principais gases.

O pesquisador Valdemir Laura explicou as várias vantagens da produção de eucalipto dentro de sistemas ILPF no Brasil. Segundo ele, qualquer espécie arbórea pode ser usada, mas análises de espécies florestais mostram que o eucalipto tem um conjunto de vantagens superior a outras espécies. “Cresce rápido, possui genética variada adaptada às diversas regiões do Brasil, além de ter múltiplo uso, podendo ser utilizada para fabricação de carvão, lenha, madeira serrada, postes e cercas. Mesmo assim, não se pode descartar a inserção de espécies nativas no sistema”.

De acordo com a pesquisadora Fabiana Villa Alves, que falou sobre “ambiência, conforto térmico e comportamento animal”, sistemas ILPF proporcionam benefícios diretos e indiretos aos animais, como o fornecimento de sombra e melhoria das condições microclimáticas. Ela explica que os resultados diretos do conforto térmico são: melhores índices produtivos, como ganho de peso e produção de leite, e reprodutivos como menor incidência de abortos, aumento nos índices de fertilidade e maior peso ao nascer.

Roteiros Dinapec 2017

A oficina sobre desrama e desbaste integrou o roteiro tecnológico “Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF)” durante a Dinapec, que aconteceu de 8 a 10 de março na Embrapa Gado de Corte (Campo Grande, MS). Foram apresentadas palestras sobre componente lavoura; manejo do eucalipto; componente animal; manejo de pastagem e produção animal e análises econômicas.

Em outro roteiro tecnológico sobre “Manejo e recuperação de pastagens dentro do contexto do Programa ABC”, o pesquisador Ademir Zimmer mostrou que a utilização da Integração Lavoura-Pecuária (ILP) e ILPF está aumentando e Mato Grosso do Sul é o estado com mais áreas de adoção, com cerca de 2 milhões de hectares, e tendência ao crescimento na adoção dessas tecnologias. “A integração e alternância pasto-lavoura-boi leva à possibilidade de passar a produzir grãos em áreas de solos mais marginais, por exemplo, degradados e arenosos”. 

Acesse a cobertura completa da Dinapec 2017.

 

 

Kadijah Suleiman (MTb RJ 22729JP) 
Embrapa Gado de Corte 
 
Telefone: 67 3368-2203

 

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)

www.embrapa.br/fale-conosco/sac/



Publicidade