Notícia

12/04

UNICA defende avanços no Programa ProRenova

UNICA defende avanços no Programa ProRenova

 

Ao participar de audiência pública realizada na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado, o diretor-executivo da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Eduardo Leão, solicitou aos parlamentares políticas efetivas, entre elas, a transformação do ProRenova em um programa permanente.

 

Em sua fala na audiência, o dirigente da entidade disse que a condição atual dos canaviais da região Centro-Sul indica que 35% da área de cana-de-açúcar disponível para colheita apresenta mais de cinco anos de idade, com enorme prejuízo a produtividade agrícola do setor.

 

“Nosso pleito aqui é tornar o ProRenova um programa permanente. Que ele tenha condições previsíveis ao longo dos anos, de forma que as usinas possam se programar adequadamente para a renovação de seus canaviais. Além disso, seria importante que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) pudesse disponibilizar volumes suficientes para suprir o déficit anual de R$ 4 bilhões, o que permitiria uma renovação adicional de 500 mil hectares”, explicou o representante da ÚNICA.

 

Segundo Leão, esse incremento contribuiria para o atendimento às demandas previstas no Programa RenovaBio  para os próximos anos.

 

A audiência pública foi requerida pelo senador Luis Carlos Heinze, com o objetivo de discutir com as entidades que representam os produtores rurais e o governo federal, questões relacionadas ao crédito rural e ao seguro agrícola “Estamos juntos com os agricultores brasileiros e queremos ouvir os pleitos do setor e discutir melhores condições sobre o volume de crédito rural, taxas de juros e volumes de recurso para subvenção”, disse Heinze.

 

Para Eduardo Leão, linhas de financiamento para apoio a estocagem de etanol, que é produzido pelas usinas em oito meses, mas comercializado ao longo do ano todo, são de extrema importância. “O produtor de etanol é o único responsável pelo carregamento desse estoque na cadeia produtiva. Essa linha daria melhores condições para distribuir a oferta ao longo do ano, a custos mais razoáveis”, disse.

 

DATAGRO 



Publicidade