Notícia

30/11

Estudo vai mapear presença do gado Senepol no rebanho brasileiro

Estudo vai mapear presença do gado Senepol no rebanho brasileiro

 

Levantamento vai mapear a participação da raça Senepol no rebanho comercial brasileiro, informa a Associação Brasileira dos Criadores de Bovinos Senepol (ABCB Senepol). O estudo fará um mapeamento dos animais meio-sangue (nascidos de cruzamento industrial entre o Senepol e outras raças de corte) no País.

 

Com previsão de conclusão em seis meses, o trabalho ficará a cargo da Scot Consultoria, com o Cepea/Esalq sendo responsável por medir e quantificar o valor econômico que o meio-sangue Senepol imprime porteira adentro.

 

De acordo com o presidente da ABCB Senepol, Pedro Crosara Gustin, as informações serão utilizadas para planejar diversas ações de valorização da raça, em toda a cadeia produtiva, dentro do PMGS (Programa de Melhoramento Genético do Senepol), garantindo a certificação de ponta a ponta, ou seja, do pasto ao prato.

 

Um dos projetos beneficiados com a pesquisa, diz Gustin, será o sistema de certificação de criatórios “PMGS Approved”, selo de qualidade que está sendo implantado pela ABCB Senepol e que funcionará como um atestado ao mercado de que o criatório creditado adota práticas e condutas alinhadas com as atuais exigências do consumidor na produção de animais melhoradores.

 

Outro projeto que utilizará as informações do mapeamento, afirma o dirigente, será o “Senepol Quality Assurance”, selo de garantia para a carne produzida dentro do padrão de qualidade estabelecido pelo PMGS Approved. 

 

Segundo a entidade, a raça vem sendo cada vez mais utilizada na pecuária comercial por proporcionar um alto grau de heterose quando utilizada em cruzamentos com zebuínos, garantindo 30% a mais de ganhos econômicos em comparação a outros animais cruzados. Importada há 17 anos dos Estados Unidos e das Ilhas Virgens (Saint Croix), a raça consegue manter um bom desempenho mesmo em regiões de clima quente e em sistemas a pasto, que é o cenário mais comum na pecuária comercial brasileira. Isso contribui para o uso de touro Senepol, tanto em monta natural quanto para repasse das fêmeas, em sistemas de cruzamento industrial.

 

DATAGRO 



Publicidade