Notícia

29/11

Brasil aumenta capacidade de processamento de soja

Brasil aumenta capacidade de processamento de soja

 

A capacidade de processamento de soja no Brasil aumentou nesta semana com a inauguração de indústrias de farelo de soja e refinaria de óleo do grão em Dourados, no Mato Grosso do Sul, pela Coamo – Agroindustrial Cooperativa. Na cerimônia, a ministra da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, destacou a importância de agregar valor ao grão produzido no país.

 

“No momento em que o Brasil exporta, abre mercado, ter mais produtos de valor agregado à nossa soja, em forma de farelo e óleo, é importantíssimo. Vamos ter mais farelo à disposição da suinocultura, avicultura e bovinocultura. São empregos de mais qualidade, só ganhos”, afirmou a ministra, ressaltando que ainda que está em negociação a abertura do mercado da China para o farelo da soja brasileira.

 

De acordo com a Embrapa Soja, com dados da Agrostat, no ano passado, o Brasil exportou 83,6 milhões de toneladas de soja em grão, gerando receita de US$ 33,2 bilhões. Já o farelo de soja somou 16,9 milhões de toneladas exportadas, que geraram US$ 6,7 bilhões. As exportações de 1,4 milhão de toneladas de óleo geraram US$ 1,0 bilhão. No total as exportações do complexo soja foram de US$ 40,9 bilhões em 2018.

 

O diretor-presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, destacou também que, além do fornecimento ao mercado nacional, as novas unidades de processamento contribuirão para o aumento das exportações para a Europa. “Estas indústrias permitirão expandir a presença da Coamo no mercado brasileiro com óleo refinado, nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul com farelo de soja e também ampliar a nossa participação no mercado europeu com farelo de soja”, afirma Gallassini.

 

A capacidade das novas unidades, que receberam investimento de R$ 780 milhões, é de processar de 3.000 toneladas por dia de soja, produzindo farelo, e uma refinaria para 720 toneladas por dia de óleo de soja, equivalente a 15 milhões de sacas. Com as indústrias de Dourados, somados aos outros dois parques industriais, a Coamo amplia a capacidade de processamento de soja para 8.000 toneladas/dia e a de refino para 1.440 toneladas/dia de óleo de soja refinado. De acordo com a rede de cooperativas, ela é responsável por cerca de 3,5% de toda a produção nacional de grãos e fibras.

 

Fonte: Ministério da Agricultura e Coamo

 

Equipe SNA



Publicidade